CMF quer lançar prémio literário para jovens dos 13 aos 18 anos em 2023

A ideia foi lançada por Pedro Calado na cerimónia de entrega do Prémio Literário Edmundo Bettencourt.

A Câmara Municipal do Funchal (CMF) quer lançar, "Já em 2023, um prémio literário para jovens entre os 13 e os 18 anos", conforme averbou o presidente da autarquia, hoje à tarde, na cerimónia de entrega do Prémio Literário Edmundo Bettencourt, que decorreu no Salão Nobre do edifício dos Paços do Concelho.

Como explicou Pedro Calado, será "um prémio destinado, única e exclusivamente, a jovens que se queiram iniciar na escrita", sendo também esta futura iniciativa uma forma de aproximar os jovens da escrita e da cultura.

O presidente da Câmara Municipal do Funchal frisou o profissionalismo da equipa de cultura da autarquia, bem como o júri do Prémio Edmundo Bettencourt, salientando ainda a importância que a cultura tem para o Funchal, já que, este ano, o "orçamento" para o departamento municipal de cultura foi reforçado, de forma significativa, em relação ao ano o anterior.

A 14ª edição do Prémio Literário Edmundo Bettencourt, no valor de 3.000 euros, teve como vencedor Davide Drumond Freitas, madeirense que vive há 20 anos em Lisboa, com a obra 'Não se entra duas vezes no mesmo rio', tendo ainda havido uma menção honrosa para a obra 'As Marionetas', de Eduardo Quina.

O Prémio Literário Edmundo Bettencourt, de caracter anual, foi criado em 1996, pelo Município do Funchal, e tem como objetivo genérico promover a produção de originais de língua portuguesa, incentivar o gosto pela criação de textos literários e divulgar o nome do seu patrono.