PSD compromete-se a “continuar a ajudar os agricultores” da Calheta

O candidato do PSD à Câmara Municipal da Calheta, Carlos Teles, desenvolveu esta manhã uma ação de campanha, no sítio da Raposeira, através da qual abordou questões de agricultura e respondeu às críticas do presidente da Junta de Freguesia da Fajã da Ovelha, Gabriel Neto.

“Nós viemos aqui para repor a verdade. Foi dito aqui, exatamente neste caminho, que durante quatro anos a Câmara não investiu um cêntimo na freguesia da Fajã da Ovelha, no setor agrícola”, afirmou o social-democrata. E acrescentou: “Nós gostamos da verdade e da transparência. Compreendemos que a campanha é uma altura muito intensa, mas nós não devemos perder a nossa transparência e a nossa verticalidade”.
Seguidamente, Carlos Teles especificou alguns apoios da autarquia ao setor agrícola daquele concelho, no último mandato PSD. É o caso do Caminho Agrícola do Aviceiro.
“Nós dizemos com orgulho que foi neste mandato que nós construímos este Caminho Agrícola do Aviceiro no sítio da Raposeira, na freguesia da Fajã da Ovelha, que veio ajudar os proprietários de terrenos agrícolas nesta zona”, salientou.
“Nós iniciamos esta obra em fevereiro de 2014, adjudicamos em 2013. Portanto, é uma obra feita inteiramente no nosso mandato, com apoios da União Europeia e também com verbas do orçamento municipal”, disse ainda.
Carlos Teles destacou também a distribuição gratuita de 12 toneladas de raticida a todos os agricultores do concelho e a redução de taxas de construção de tanques de rega e de estufas agrícolas.
Na ocasião, o candidato do PSD elogiou o trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia da Fajã da Ovelha no setor agrícola, que “só foi possível com o apoio financeiro Câmara Municipal da Calheta”. “Nós atribuímos um apoio financeiro a todas as juntas de freguesia do concelho, sem exceção, e também apoiámos com 36 mil euros a Junta de Freguesia da Fajã da Ovelha que permitiu a esta junta fazer algum trabalho, porque nós sabemos que a verba que vem do Fundo de Equilíbrio Financeiro do Estado não é suficiente para uma junta de freguesia poder fazer o seu trabalho”, sublinhou.
Carlos Teles garante que a candidatura do PSD pode fazer “ainda mais e melhor” e compromete-se a “continuar a ajudar os agricultores do concelho, nomeadamente através de novos projetos para caminhos agrícolas”.
O social-democrata apresentou ainda duas propostas para o setor social, como a criação de um cartão sénior. Trata-se de um cartão que vai proporcionar descontos nas taxas municipais às pessoas com mais de 65 anos. Por sua vez, o ‘Projeto Bem-Estar’ pretende apoiar as pessoas mais necessitadas, na obtenção de cadeiras de rodas, por exemplo.

Carolina Hermano