Orçamento para 2022 com aumento de 30% nos apoios sociais

Paula Abreu

Aquele que é o maior orçamento da Câmara Municipal do Funchal nos últimos vinte anos, de 110 milhões de euros, concretiza um aumento de 30% nos apoios sociais, como destacou a vice-presidente da autarquia, na apresentação feita esta manhã à Comunicação Social do documento.

Serão canalizados para esta área 5,839 milhões de euros, quando no orçamento deste ano, os apoios sociais representaram uma fatia de 4,496 milhões de euros. Com o acréscimo nesta área, aumenta também o leque de beneficiários, adiantou ainda. A título de exemplo, a autarquia vai ajudar os munícipes com teleconsultas de medicina gral e teleconsultas de veterinária. Os apoios ao arrendamento, aos medicamentos e à natalidade também aumentam.

Sublinhando que o orçamento municipal é reforçado para o próximo ano, apesar da redução da carga fiscal e do fim da derrama, Cristina Pedra enfatizou o facto de estar prevista a devolução de três milhões de euros de IRS em 2022 aos munícipes. No orçamento ainda em curso, preparado pelo anterior executivo camarário, não há lugar a qualquer devolução.

Dos vários aspetos que compõem o documento apresentado hoje pela vereação liderada por Pedro Calado, é também de salientar que a capacidade de endividamento da autarquia para o próximo ano será superior a 16,5 milhões de euros.

A concluir, Cristina Pedra referiu que a estratégia da atual vereação, com o orçamento previsto para o próximo ano é de reforço dos apoios sociais para as famílias carenciadas do Funchal, redução da carga fiscal aos funchalenses, criação e manutenção de postos de trabalho, gestão rigorosa e criteriosa, nomeadamente de incentivos regionais, nacionais e comunitários, e aumento dos investimentos da autarquia.