Não há ligação entre as vacinas covid-19 e as mortes súbitas no pré-hospitalar

Paulo Graça

Pedro Ramos revelou esta tarde, em conferência de imprensa, que não há relação “causa efeito” com situações de óbito por doença súbita em contexto pré-hospitalar e as vacinas da covid-19

Deu como os doentes com diagnóstico de Acidentes Vasculares Cerebral (AVC), lembrando que a Madeira tem um sistema de “emergência pré-hospitalar com uma experiência de mais de 20 anos, e conta "com uma equipa medicalizada de intervenção rápida que ocorre a todas as situações de foro médico cirúrgico, traumático ou infecioso, como são os casos de covid-19".

Neste momento, Pedro Ramos revela que até é “muito perigoso” fazer essa comparação e constata que “a principal arma contra o covid-19, mas não é suficiente". Mais adianta que a agência europeia do medicamento "recomenda e diz que os seus benefícios são superiores ao risco da doença".