Governo e Assembleia Legislativa da Madeira lamentam morte do padre Alexandre Mendonça

Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional, e José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, manifestaram, hoje, o seu profundo pesar pela morte do padre Alexandre Mendonça, diretor da Missão Católica Portuguesa, na Venezuela, que faleceu ontem aos 67 anos.

“Com um trabalho notável junto da comunidade portuguesa radicada na Venezuela, a maioria constituída por emigrantes madeirenses, Alexandre Mendonça destacou-se pelo seu espírito humanista, tendo sido, muitas vezes, a voz dos anseios dos madeirenses na diáspora”, começou por lembrar José Manuel Rodrigues, numa nota enviada à redação.

O governante mais recordou as preocupações do sacerdote “com as carências e com a segurança da comunidade lusa”, que foram “mobilizadoras de ações de solidariedade, tendo contribuído ainda para a definição de políticas de apoio aos que mais precisavam”.

“Alexandre Mendonça prestou um serviço à Região e ao País e deixa uma marca indelével na vida de milhares de pessoas, um trabalho humanitário que deve servir de exemplo para todos nós”, afirmou ainda.

Por sua vez, Miguel Albuquerque endereçou à família enlutada os mais sinceros pêsames, aproveitando para enaltecer “a figura de relevo, incontornável e marcante da comunidade madeirense radicada na Venezuela, não só no campo espiritual, mas também pelo profundo sentido humanista com que sempre se colocou e se entregou ao serviço daquela nossa comunidade na diáspora”.

“É esta figura madeirense que o Governo Regional e o seu Presidente pretendem homenagear, sublinhando a sua gratidão para com os relevantes serviços prestados à nossa comunidade na Venezuela”, pode ler-se numa nota emitida, que mais aponta que “na memória coletiva da comunidade na diáspora (…) ficará para sempre o altruísmo e o mais elevado sentido humanista na forma como prontamente acolheu na Missão Católica Portuguesa”.