CDS-PP descontente com estado do património histórico e edificado em Câmara de Lobos

Redação

Durante a reunião ordinária do executivo camarário de Câmara de Lobos, ocorrida esta manhã, o vereador do CDS-PP, Amílcar Figueira, apresentou uma proposta de recomendação que visava proceder à inventariação, classificação e recuperação do património histórico e edificado no concelho de Câmara de Lobos.

A proposta não foi aceite pela maioria PSD, nem pelo vereador independente, mas eleito nas listas do Partido Socialista, uma postura que acabou por ser qualificada como uma "infelicidade" por parte do CDS-PP.

O presidente da autarquia, Pedro Coelho, justificou o voto contra com o facto de algumas juntas de freguesia já estarem com candidaturas apresentadas para a recuperação do património de interesse municipal, entre eles, fontanários, lavadouros e miradouros.

Mas o vereador centrista Amílcar Figueira lembrou depois que, em setembro de 2018, o CDS-PP já levou a discussão uma proposta semelhante à Assembleia Municipal, que também foi chumbada pela maioria.

"Passados mais de dois anos, verificamos que ainda há muito por fazer, rebatendo, em parte, o que argumenta o presidente da autarquia", sublinhou o vereador do CDS-PP, que prometeu dedicar um maior acompanhamento e fiscalização na execução dos referidos projetos.

"Sabemos que, em algumas freguesias, há esse cuidado de preservar o que é nosso, mas fico triste em ver, por exemplo, fontanários, que marcaram a nossa infância, por vezes eram pontos de encontro para pôr a conversa em dia, ou até mesmo por esta altura, dos santos populares eram enfeitados com pompa e circunstância. Não é preciso muito dinheiro para preservar aquilo que faz parte das nossas memórias. Haja vontade de aprovar o que a oposição apresenta", afirmou o vereador Amílcar Figueira.