40% da população madeirense já recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19

Pedro Ramos, secretário regional de Saúde e Proteção Civil, revelou, este domingo, que 40% da população já está vacinada com uma dose da vacina contra a covid-19.

Recorde-se que, hoje, foi administrada no centro de vacinação do Funchal, por volta das 11 horas, a primeira dose número 100 mil deste fármaco que promete devolver a Madeira (e o mundo) à tão ansiada normalidade.

Nas palavras do secretário regional, este é um momento importante para a RAM, que está “a cumprir com aqueles que são os compromissos que temos para com a população no contexto da pandemia que estamos a atravessar”.

“Isto é extremamente importante, porque sabemos que a vacinação diminui as mortes, as doenças graves do covid e os internamentos e é isso que estamos a verificar na Região. À medida que a campanha de vacinação aumenta, a quantidade de internamentos, de doentes que temos nos cuidados intensivos e a próprio mortalidade diminuem”, ressaltou Pedro Ramos, que acrescentou ainda que se mantém a meta de vacinar 70% da população com as duas doses, isto é, cerca de 175 mil madeirenses, até setembro.

“Se tivermos mais doses de vacinas na Madeira até setembro, naturalmente que essa meta pode ser atingida mais brevemente”, alertou.

Quanto aos próximos passos na campanha de vacinação, o governante apontou que a Região continuará a inocular os grupos prioritários, avançado também com a criação de “nichos de imunização em diferentes áreas”, como está a acontecer com a área do turismo.

“Vamos continuar a vacinar grupos que têm as suas prioridades, as pessoas que têm patologia dentro do escalão etário dos graus de prioridade. Neste momento estamos no escalão dos 50. Abaixo dos 50, se tivermos mais vacinas, provavelmente vamos começar já vamos começar a vacinas este escalão etário”, explicou.

Além do mais, segundo Pedro Ramos, as grávidas e jovens passarão também a ser incluídos na campanha de inoculação contra a covid-19, depois de terem sido aprovadas autorizações para tal.

“Todos os que foram afastados dos ensaios clínicos, nomeadamente as grávidas e os jovens, estão a ser agora incluídos. No caso das grávidas, já estão a ser um grupo de risco e prioritário para ser vacinado numa fase da sua gestação”, assinalou.

Já no caso dos jovens, o secretário reconheceu que esta faixa etária é especialmente importante dada a diversidade de atividades em que está envolvida e à maior propensão para o convívio. Desta forma, e agora que foi autorizada a vacinação dos jovens a partir dos 12 anos com a vacina Pfizer, o Governo Regional pretende começar a administrar este fármaco nestas idades antes do arranque do próximo ano letivo.

“Vamos fazer isso na Madeira, antes do ano letivo, para que o ano escolar seja um ano seguro, não só para os professores que já estão vacinados, mas também para este escalão etário entre os 12 e os 15 anos, que já temos autorização para vacinar”, afirmou, esclarecendo que o executivo madeirense desenvolverá uma campanha de sensibilização para mobilizar os jovens a aderirem a esta campanha.