Confraria Enogastronómica da Madeira prepara retoma de atividade e tem evento em setembro

Em plena semana do seu 21º aniversário, a Confraria Enogastronómica da Madeira (CEM) congratula-se com a flexibilização das medidas de prevenção à covid-19 na Região Autónoma da Madeira e prepara retoma das atividades presenciais com uma reunião dos seus órgãos sociais após um dos períodos mais difíceis de toda a sua existência, com muita incerteza a pairar sobre o movimento confradico nacional e internacional.

No território nacional, das várias dezenas de eventos do mapa anual da federação gastronómica portuguesa, apenas dois mantêm-se agendados para este ano: o X Capítulo da Confraria Gastronómica do Concelho de Ovar, a 18 de junho, e o XX Grande Capítulo da Confraria Enogastronómica da Madeira, a decorrer entre 24 a 27 de setembro.
Durante este "interregno", a direção da confraria tem se focado na preparação de projetos e parcerias com as suas congéneres a apresentar oportunamente, bem como no estabelecimento de novos contactos, estando em vista deslocações pela a primeira vez à República Checa, à Macedónia e à Bulgária para apadrinhar a criação de uma irmandade.
A CEM foi fundada a 30 de abril de 2000 e é filiada na Federação Nacional das Confrarias da Gastronomia Portuguesa (da qual esta irmandade foi também fundador), inicialmente como Academia e, mais tarde como Confraria Gastronómica, a associação tem como propósito de defender os pratos típicos da gastronomia madeirense.
Em Novembro de 2018, mudaria a sua designação de Academia Madeirense das Carnes/Confraria Gastronómica da Madeira para Confraria Enogastronómica da Madeira, de modo a permitir a filiação na Federação de Confrarias Báquicas Portuguesas, bem como na Federação Internacional de Confrarias Báquicas, no sentido de promover a defesa da cultura báquica e gastronómica do Arquipélago Madeirense."