Miguel Albuquerque desvaloriza contestação à nova marca Madeira

Marco Milho

O presidente do Governo Regional desvalorizou hoje a contestação de que tem sido alvo a nova imagem da marca Madeira, defendendo que o trabalho foi estudado em articulação com duas das maiores empresas internacionais do ramo.

À margem de uma visita à Igreja Matriz de São Jorge, em Santana, onde decorreram obras de requalificação no Museu do Barroco, o governante foi instado a comentar a polémica gerada em torno da nova imagem, que motivou, inclusive, reações por parte de figuras como o antigo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim.

"Há polémica? Há pessoas nas redes sociais que não gostam", desvalorizou Miguel Albuquerque. "É a democracia, cada um tem a sua opinião."

Todavia, o chefe do Executivo madeirense frisou que o trabalho foi "estudado, em articulação com os agentes de turismo regionais, com agentes internacionais, e duas das melhores empresas internacionais do género".

Albuquerque realçou ainda que "a imagem é flexível" e "tem uma série de aplicações e uma filosofia subjacente que visa um objetivo, e esse objetivo vai ser concretizado".

"As pessoas são livres de expressar a sua opinião. Uns gostam, outros não gostam, uns são mais conservadores, outros menos conservadores. Isso é normal", considerou, antes de concluir: "Temos é de seguir o caminho acertado, e esse é preparar este novo ciclo de retoma do turismo, com todas as ferramentas e mecanismos adequados para podermos captar um maior número de turistas para a Madeira."