Manhã calma no regresso dos alunos do secundário às escolas

É um regresso às aulas que aparenta uma certa calmaria. Em duas das escola secundárias do Funchal, no Liceu Jaime Moniz e na Escola Secundária Francisco Franco, esta manhã viam-se poucos alunos junto às instituições, num reflexo claro da nova realidade após três meses de ensino à distância.

Esta quinta-feira 6.989 alunos do ensino secundário voltam ao ensino presencial. Cerca de 2 mil destes discentes pertencem à Escola Francisco Franco e, até ao momento, está a correr tudo dentro da normalidade, assegurou ao JM António Pires, presidente do Conselho Executivo desta instituição.

Por volta das 09h00, conforme verificou o JM, poucos eram os alunos que se viam em frente aquela instituição. Iam entrando no recinto ‘a conta gotas’. Também os normais grupos de amigos eram escassos.

“Foram tomadas todas as medidas necessárias que, inclusive, já existem a nível interno da escola desde o início do ano letivo”, afirmou António Pires, salientando que a testagem, que foi realizada na passada segunda-feira aos 2.200 alunos da instituição e que acusou apenas um caso positivo, “foi uma mais valia” e acaba por ser “tranquilizador”, dando confiança para que as aulas corram bem até ao final do ano.

Este regresso traz ainda uma novidade que poderá afetar a normal dinâmica dos jovens. “As regras agora indicam que os alunos deverão ficar na escola durante todo o período letivo. Quer isto dizer que não vão poder sair da escola nos intervalos. Só saem para o almoço e no fim das aulas do dia”, explicou o presidente da instituição.

Noutra das escolas secundárias do Funchal, no Liceu Jaime Moniz, o cenário era idêntico. Viam-se poucos alunos e poucos ajuntamentos e os que haviam não ultrapassaram os quatro jovens. Uma calmaria pouco comum naquela zona que verá regressar ao longo do dia de hoje cerca de 1.800 alunos.

Ana Isabel Freitas, presidente do Conselho Executivo da instituição, assegurou ao Jornal que está “a correr tudo dentro do previsto”. Salientou, porém, que a testagem dos alunos do Liceu na passada terça-feira em que foram identificados, num universo de cerca de 2 mil alunos, três casos positivos, permitiu retomar o ensino presencial “em segurança porque esses casos já foram identificados, estão em isolamento e, naturalmente, que assim evitamos a propagação do vírus”, sublinha.