Pedro Nunes: Dentistas não são valorizados

Pedro Nunes não comprende dualidade de critérios durante a pandemia que obrigou os dentistas a serem os primeiros a parar e dos últimos a retomar.

Pedro Nunes diz que a classe dos médicos dentistas ainda é alvo de algum preconceito. Nota que não há da parte das entidades governamentais qualquer atrito, mas nota que os dentistas são tratados, por vezes, de forma discriminatória e não são minimamente acarinhados.

Médico dentista de profissão, Pedro Nunes recorda que os dentistas foram os primeiros a parar a atividade quando surgiu o vírus.

O profissional recorda que outras especialidades nunca usaram máscara, como os oftalmologistas, mas não usavam máscaras, ao contrário dos dentistas que sempre usaram máscara.

Diz que não consegue entender como é que os dentistas foram dos últimos a reabrir a atividade e serão dos últimos profissionais de saúde a serem vacinados. “Uma dualidade de critérios que me deixa um pouco aborrecido”, reconhece Pedro Nunes.

De qualquer forma, deixa uma avaliação positiva sobre a forma como a Madeira tem enfrentado a pandemia. Mesmo admitindo alguns aspetos que não compreendeu, reconhece que a generalidade das decisões foram corretas.

O médico dentista é o convidado de hoje do programa Centro das Conversas, iniciativa do centro comercial La Vie, do JM e da JMFM que pode ser acompanhado agora e direto através do site do Jornal.

Editado às 22h31