Lisboa aumenta 57 milhões ao PAEF

A manchete da edição de hoje do JM dá conta de que o ministro das Finanças ainda não cumpriu com as formalidades para suspender três prestações do empréstimo associado ao PAEF (Programa de Ajustamento Económico e Financeiro), denuncia o vice-presidente Pedro Calado ao JM, após ter escrito ao ministro João Leão. A próxima prestação vence a 27 deste mês. Mais grave: contrariando o espírito das moratórias, o Governo da República já agravou o PAEF da Madeira em mais 57 milhões de euros. "Um presente envenenado", conclui Pedro Calado.

Destaque nesta edição também para as empresas que recusam morrer. Diferentes empresários lutam nesta altura para sobreviver. Dizem estar a reinventar-se para contornar as restrições advindas da pandemia, mas avisam que só a chegada célere de apoios possibilitará
a manutenção de postos de trabalho. A economia, uma das causas JM do ano 2021, está em modo sobrevivência.

Saiba ainda que as chamadas para a linha SRS24 dispararam no último mês, que Santana lança três obras no valor de 763 mil euros, e que os artistas lutam para “alimentar a alma e as tradições do povo”.

Ontem, a Madeira registou quatro mortes, 117 novas infeções e 107 recuperados. Miguel Albuquerque avisa que as repercussões do fim de ano surgem a partir de agora, e o JM dá-lhe também a saber que o centro de acolhimento pode ser reativado para acolher sem abrigo.

Leia mais sobre estes e outros assuntos, na edição deste domingo do seu JM.