CDS quer isenção de rendas durante três meses para comerciantes no Mercado dos Lavradores

Uma comitiva do CDS visitou esta sexta-feira o Mercado dos Lavradores, onde Gonçalo Pimenta defendeu uma isenção total das rendas nos meses de outubro, novembro e dezembro, para os comerciantes que têm concessão com a Câmara do Funchal, desde que estes comerciantes apresentem valores de faturação com perdas iguais ou superiores a 20%, face ao período homólogo do ano anterior.

O líder da bancada municipal do partido explicou aos comerciantes que houve uma convocatória proposta pelo CDS, para uma sessão extraordinária, que já foi agendada para o próximo dia 16 de novembro, no sentido de incluir na Ordem de Trabalhos, uma proposta de deliberação intitulada: "Implementação de medidas de apoio aos espaços comerciais concessionados pelo Município do Funchal".

Acompanhado pela vereadora Ana Cristina Monteiro e autarcas da freguesia, o centrista disse que o “CDS fez o seu trabalho de casa” e afirmou que a medida teria um impacto orçamental que rondaria os 300 mil e os 500 mil euros.

“Para quem tem 1,5 milhões de euros gastos em publicidade e tem meio milhão de euros para gastar em pareceres jurídicos da Câmara Municipal, com certeza terá 300 mil euros ou até mesmo meio milhão de euros para investir nos comerciantes que lutam tanto diariamente e que já têm uma carga fiscal tão elevada”, concluiu.