“O PS irá liderar processo de fiscalização”, assegura Paulo Cafôfo

David Spranger

O deputado do PS refere-se aos “1.400 milhões de fundos comunitários que a Madeira irá receber até 2027”, um valor “nunca antes recebido”.

Mas “não podemos fazer o mesmo de sempre, não pode ser a mesma receita do passado”, adverte. Então, diz Cafôfo, não haveria “transparência” nem “fiscalização” e sim “clientelismo” que não pode voltar a suceder, e sim “uma distribuição eficaz”.

O socialista assegura que o Governo da República “já enviou uma primeira proposta ao Governo Regional” acerca desse pacote comunitário, cujos “critérios podem ser readaptados para a Madeira poder sair ainda mais beneficiada”. Está será, exalta, “uma grande oportunidade para construir uma Madeira com um crescimento sustentável”, mas para tal “não poderão ser usadas as receitas do passado”.