“A crise sanitária não é justificação para tudo”, afirma Paulo Cafôfo

David Spranger

No arranque dos trabalhos na ALRAM, na manhã desta quarta-feira, coube a Paulo Cafôfo uma intervenção política, projetando, desde logo, que esta será uma sessão legislativa marcada pelo vírus.

Aliás, crê que nos próximos anos assim o será. “Não tanto pela saúde pública, mas pelas consequências económicas e sociais”, referiu.

O deputado do PS diz “temos que estar atentos aos sinais”, passando depois ao ataque. “A crise sanitária não é justificação para tudo. A verdade a crise já estava aí”, disfarçada “por uma camada de propaganda”.

Relevou os números de pessoas em risco de pobreza, “81.000” e outros dados estatísticos para demonstrar que a “crise já existia”.

Exaltou ainda a importância do turismo, relevando números de um passado recente, indicadores de que já não estava bem. “É preciso fortalecer e diversificar a nossa base económica”, disse