Magina da Silva revela que o dispositivo operacional da PSP é o "necessário e o disponível”

Paulo Graça

O Diretor Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP), Manuel Magina da Silva, que está de visita à RAM para o 142.º aniversário do Comando Regional da Madeira, revelou hoje que a PSP tem um “efetivo necessário e disponível, o nunca chega, por definição”.

O máximo responsável pela autoridade policial “gostava de ter o dobro do dispositivo operacional” na RAM, mas também sabe “que isso é impossível”, ressalva, em declarações aos jornalistas à margem do encontro de apresentação de cumprimentos ao Representante da República, Irineu Barreto, que aconteceu esta tarde no Palácio de São Lourenço.

O dispositivo operacional em qualquer local “nunca chega, por definição”, continua. Se a PSP Madeira “pudesse duplicar o efetivo já amanhã, o Comandante dizia-me que são todos bem-vindos. Infelizmente, isso não é possível”, acrescentou Magina da Silva.

O que se espera, o que é desejável e “que se exige é que o Comandante da PSP da Madeira e o diretor Nacional da PSP façam o melhor que sabem com os recursos que existem”. Tal como o diretor Nacional da Polícia, o Comandante da PSP Madeira está “cá para fazer o melhor que sabe e pode com aquilo que lhe foi disponibilizado”.