CDU alerta para a necessidade de “ser garantido o direito ao saneamento básico” no concelho de Santa Cruz

A CDU desenvolveu hoje uma iniciativa política junto à urbanização do Forte do Porto Novo, na freguesia do Caniço, em Santa Cruz, no sentido de alertar para a necessidade de ser garantido o direito ao saneamento básico nesta localidade, como em todo o concelho.

O dirigente da CDU, António Jardim, afirmou que durante a ação de contacto com a população de Santa Cruz, verificou que “existem graves problemas em relação à carência de saneamento básico”.

“O concelho de Santa Cruz sendo o único Concelho da Região Autónoma da Madeira que tem duas cidades com muita densidade populacional, Santa Cruz, com cerca de 8mil habitantes, e Caniço, com cerca de 23 mil habitantes, é inconcebível que não exista uma rede de esgotos que dê resposta às necessidades e que tenha em conta o crescimento da população neste concelho”, disse, acrescentando que “verificamos em pleno século XXI casos caricatos, tais como, na Mãe de Deus existirem edifícios que não estão ligados à rede de saneamento básico. São necessários carros de recolha de dejetos para drenar as fossas sépticas”.

Na zona do Caniço, como no sítio do Castelo, refere que “existem na mesma estrada casas que ficam num lado da estrada ligados à rede de esgotos e as casas do outro lado já sem ligação” e que “acontece a contaminação de solos agrícolas”. A CDU diz que verificou ainda “situações como a Urbanização do Forte do Porto Novo que não tem ligação à rede de saneamento básico”.

Quanto à freguesia de Gaula, na Rua Padre Alfredo Vieira de Freitas, no sentido Gaula/Achadas de Gaula, “apenas existe saneamento até ao ‘reforço de luz’ da Empresa de Eletricidade da Madeira, imediatamente a seguir, já deixa de existir saneamento. Aí só existem fossas séptica”, garante.

Nas zonas altas de Santa Cruz, como nas Regadinhas e Lombada, a CDU aponta ainda a existência de “imensa carência de saneamento básico”. “Foi realizada uma intervenção na zona da Lombada, através de uma bomba de ligação à rede, mas que constituí um grave atentado à saúde pública, pois, foi feito um coletor que é bombeado para a rede principal com dois tubos com a funcionalidade de sobejo pela ribeira dentro. Na verdade, o que se verifica é que neste momento já escorrem dejetos pela ribeira, poluindo toda aquela zona, sendo esta uma obra financiada pela União Europeia. Por isso, já no ano anterior a Praia das Palmeiras esteve interdita a banhos, em setembro, devido a graves problemas de saneamento na freguesia de Santa Cruz”.

Na freguesia da Camacha, na zona da Eira/Salgados, a CDU diz que “se repete o atentado ambiental com o saneamento básico canalizado para as levadas e linhas de água, com águas lixiviantes e dejetos a poluírem terrenos agrícolas. O mesmo acontece nas zonas do Rochão e do Ribeiro Serrão onde o saneamento básico ainda é uma miragem bem distante”.

A CDU entende, deste modo, que “é necessário” que o executivo camarário de Santa Cruz “faça um levantamento urgente de todos os problemas que estão na base deste atentado ambiental, em cada um dos sítios, zonas, localidades, estradas, ruas e habitações que não possuem ligação à rede pública de saneamento básico e que, em articulação com o Governo Regional, seja garantido às populações do concelho de Santa Cruz o direito fundamental ao saneamento básico para todos e a inadiável construção de mais ETAR´s, de modo a dar resposta ao crescimento da população neste concelho”.