MADEIRA Meteorologia

BE quer helicóptero de combate a incêndios "totalmente financiado" pela República

JM-Madeira

JM-Madeira

Data de publicação
29 Outubro 2023
12:12

A coordenadora nacional do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua, juntamente com Dina Letra, coordenadora regional do partido, e Roberto Almada, deputado do Bloco na Assembleia Legislativa Regional da Madeira, visitaram ontem algumas das zonas afectadas pelos incêndios que, há duas semanas, causaram grande destruição nos concelhos da Calheta e do Porto Moniz.

"Prestamos toda a solidariedade à população afectada pelos incêndios, quer na Calheta quer no Porto Moniz. Vimos que o fogo andou bem perto das casas. Sabemos que em alguns sítios as pessoas ficaram abandonadas a combater o fogo sozinhas Isto é dramático. Sabemos que há perdas irreparáveis, de quem tenha perdido tudo, de quem perdeu a sua casa, os seus animais, o seu sustento", referiu Mariana Mortágua.
Considerando que "muitas das pessoas afectadas não têm capacidade financeira para recomeçar", o Bloco de Esquerda Madeira defende o "apoio imediato" do Governo e das autarquias às populações, bem como o acompanhamento técnico quer do Instituto das Florestas quer da Agricultura na recuperação e/ou replantação do coberto vegetal adequado e na preparação das candidaturas a apoios, além da Saúde "porque os traumas resultantes de catástrofes têm um forte impacto na vida e no bem-estar psicológico e físico das pessoas".
"É um cenário desolador este que vimos aqui na Calheta, onde ardeu 70% do território, com forte impacto ambiental também, já que há muita zona florestal ardida.Para além de toda a questão ambiental, de gestão da floresta e de cadastro dos terrenos que são de crucial importância, há, no nosso entender, duas questões fundamentais que poderão ter uma solução mais imediata: a educação/ sensibilização das populações para este tema, já que mais de 70% dos incêndios acontecem por mão humana, muitas vezes por negligência (queimadas, etc); e os meios que a Região dispõe para o combate aos incêndios. Neste contexto, temos de falar de Bombeiros e temos de falar dos meios aéreos", pode ler-se em nota enviada às redações.
Ademais, o Bloco de Esquerda defende a revisão do Estatuto dos Bombeiros e diz não ser "admissível que um bombeiro voluntário receba, por exemplo, 1,80€ por hora, como nos foi transmitido na Calheta aquando dos incêndios".
O meio aéreo, por seu turno, "tem-se revelado fundamental no combate aos incêndios e deverá ser reforçado no período crítico dos incêndios. Até porque as alterações climáticas estão aí e os períodos de tempo extremamente quente serão, infelizmente, mais frequentes e intensos. A Região tem de estar preparada".
"Entendemos também que não faz qualquer sentido que seja a Região a assumir os custos desta operação e, nesse sentido, e em articulação com a bancada do Bloco de Esquerda na Assembleia da República e com o compromisso já assumido pela Mariana Mortágua, iremos propor, para o próximo Orçamento de Estado, a inclusão de um helicóptero de combate a incêndios na Região Autónoma da Madeira, totalmente financiado pela República", conclui.

Mónica Rodrigues

OPINIÃO EM DESTAQUE

88.8 RJM Rádio Jornal da Madeira RÁDIO 88.8 RJM MADEIRA

Ligue-se às Redes RJM 88.8FM

Emissão Online

Em direto

Ouvir Agora
INQUÉRITO / SONDAGEM

Quem vai ganhar o Europeu?

Enviar Resultados

Mais Lidas

Últimas