Brad Pitt e Nick Cave exibem obras de arte pela primeira vez na Finlândia

Lusa

O ator norte-americano Brad Pitt e o músico australiano Nick Cave exibem pela primeira vez as suas esculturas e cerâmicas numa exposição no Sara Hilden Art Museum, em Tampere, na Finlândia.

Inicialmente, apenas estava programa a exposição das obras do artista britânico Thomas Houseago – conhecido pelas suas esculturas. Houseago terá convencido o museu a incluir os trabalhos de Pitt e Cave.

“Cave e Pitt são célebres nos seus respetivos campos da música e do cinema, mas esta é a primeira vez que exibem as suas obras de arte – peças que foram criadas durante um diálogo contínuo com Houseago”, disse o museu finlandês.

O ator e o músico viajaram para Tampere, uma cidade universitária conhecida pela sua cultura vibrante e cena musical, para um evento de pré-abertura no passado sábado.

A imprensa local informou que os dois artistas reconheceram estar empolgados e nervosos em apresentar a sua arte em público pela primeira vez.

Entre as nove obras de Pitt está uma estrutura em forma de casa moldada em silicone transparente baleada e um painel de gesso a representar uma cena de tiroteio.

Pitt, de 58 anos, começou a fazer arte em cerâmica após se ter divorciado da também atriz Angelina Jolie, em 2017.

“Para mim, é tudo uma questão de autorreflexão. É sobre onde errei nas minhas relações. Onde eu perdi”, disse o ator à emissora pública finlandesa YLE.

“Na verdade, nasceu daquilo que eu chamo de um inventário radical, sendo realmente honesto comigo e… tendo em conta aqueles que eu ter magoado e os momentos em que errei”, acrescentou.

Por seu lado, o vocalista dos Nick Cave and the Bad Seeds apresenta uma série de figuras de cerâmica que retratam a vida do diabo. O músico de 64 anos projetou, pintou e envernizou 17 esculturas entre 2020 e 2022.

“Queria fazer o diabo, porque gosto de vermelho. E gosto da cor vermelha do verniz”, disse à YLE Cave.

“Finalmente, decidi fazer a história da vida do diabo. Para mim, pessoalmente, diz algo sobre a ideia de perdão ou a necessidade de ser perdoado. É um trabalho muito pessoal para mim”, realçou.

A exposição abriu no domingo e encerrará em 15 de janeiro de 2023.