Tribunal devolve a Britney Spears o controlo da vida pessoal e financeira ao fim de 14 anos

Lusa

O Tribunal Superior de Los Angeles decretou na sexta-feira o fim do regime tutelar imposto a Britney Spears, há 14 anos, que entregou o controlo da vida pessoal e financeira da cantora ao pai, avança hoje a AP.

Segundo a agência de notícias, a decisão da juíza Brenda Penny é o capítulo final da luta de Britney Spears, que exigia o fim do regime tutelar imposto em 2008 de forma a “recuperar a própria vida”.

Segundo a lei da Califórnia, nos Estados Unidos da América, o regime tutelar pode ser imposto a uma “pessoa que é incapaz de prover adequadamente às suas necessidades pessoais de saúde física, alimentação, vestuário ou abrigo", ou a alguém "substancialmente incapaz de gerir os seus próprios recursos financeiros ou resistir à fraude ou influência indevida".

A tutela pode ser entregue a um membro da família, um amigo próximo ou um profissional nomeado pelo tribunal, tendo sido, no caso da cantora pop, entregue ao pai, James Spears, que pediu o controlo da vida pessoal e financeira da filha depois de esta ter protagonizado uma série de episódios que puseram em causa o estado da sua saúde mental.

Desde o início que o regime tutelar imposto à cantora foi contestado por fãs em todo mundo, tendo mesmo dado origem à ‘hashtag’ #FreeBritney, o que justifica a explosão de alegria à porta do tribunal quando foi anunciada a decisão.

Britney Spears, que não esteve presente na sessão de aproximadamente 30 minutos que lhe devolveu o controlo da sua vida, reagiu via Twitter e Instagram: "Melhor dia de sempre ... Louvado seja o Senhor ... posso ter um Amen???", lê-se numa publicação da cantora minutos após o anúncio da decisão.

O tribunal acredita que a cantora pop está em condições de gerir a vida pessoal, financeira e a sua carreira, decisão que deverá ter tido em conta a opinião de Jodi Montgomery, que em 2019 assumiu a tutela de Britney Spears por ordem do tribunal.

Segundo a AP, a advogada de Montgomery defendeu em audiência que “não há razão para que a Sra. Spears não possa levar uma vida segura, feliz e gratificante”.

O advogado de Britney Spears, Mathew Rosengart, garantiu que a cantora tem “uma rede de segurança”, tanto a nível pessoal como financeiro.

“Britney, a partir de hoje, é uma mulher livre e independente. E o resto, com o seu sistema de apoio, caberá à Britney", afirmou o advogado à porta do tribunal, no final da audiência.

No entanto, o tribunal optou por manter de forma temporária a tutela financeira sobre Britney Spears enquanto se desenvolve o processo de acesso à sua fortuna, avaliada em cerca de 60 milhões de dólares.

A conquista de Britney Spears não vai pôr fim ao conflito com o pai, já que o advogado da cantora anunciou que vai dar inicio a um processo de investigação à tutoria do pai.

Rosengart afirmou que ele e a sua equipa encontraram indícios de má gestão das finanças de Britney Spears.

Em resposta, os advogados de James Spears negaram as acusações de Rosengart, classificando-as como infundadas a impossíveis e garantiram que o cliente agiu no melhor interesse da sua filha.

Britney Spears tinha 26 anos e estava no auge da carreira quando lhe foram retirados os poderes de gestão da sua vida pessoal e financeira, recuperando esse controlo nas vésperas de completar 40 anos.

A cantora tem agora dois filhos e a carreira parada, preparando-se para casar uma segunda vez.

"Se Britney voltará a atuar, será a Britney a decidir”, afirmou Rosengart.