Mayorga pede indemnização de mais de 60 milhões de euros a CR7

Segundo avança o jornal inglês 'Mirror', Kathryn Mayorga, a mulher que acusa Cristiano Ronaldo de a ter violado num hotel em Las Vegas em 2009, exigiu ao craque madeirense uma indemnização que ascende a mais de 60 milhões de euros.

Destes, 18 milhões de libras (20,7 milhões de euros) são exigidos pela "dor e sofrimento futuros" causados pela agressão que afirma ter sofrido da parte do internacional português, acrescentando-se ainda mais 18 milhões por danos punitivos e os honorários dos advogados e as despesas jurídicas, que se fixam nos 2,5 milhões de libras (2,8 milhões de euros).

Conforme noticia ainda esta publicação britância, a ex-modelo terá ainda entregado uma lista de mais de 60 testemunhas que desejam testemunhar a seu favor, entre as quais conta a ex-estrela britânica do Big Brother Jasmine Lennard, 35, que afirma ter namorado o ex-craque do Manchester United há 10 anos, três polícias que investigaram a denúncia original, o presidente da Juventus, Andrea Agnelli, o agente de Ronaldo, Jorge Mendes, e o assessor Andy Quinn.

Recorde-se que o caso veio a público em 2019, quando Kathryn Mayorga falou pela primeira vez do sucedido à revista alemã Der Spiegel, embora a história já tivesse sido revelada em 2017, em documentos difundidos pela plataforma digital Football Leaks. No entanto, Cristiano Ronaldo nega as acusações que lhe são feitas.

De acordo com a ex-modelo, na altura terá sido coagida a assinar um acordo de confidencialidade a troco de cerca de 325.000 euros (375.000 dólares), assentimento que os seus advogados consideram não ter valor legal.