Rede Eunice traz Frei Luis de Sousa de Almeida Garrett

Estreou em março no Teatro Nacional D. Maria II, Lisboa, e sobe ao palco do Teatro Baltazar Dias, no próximo dia 15 de junho, o clássico de Almeida Garrett Frei Luís de Sousa, numa encenação de Miguel Loureiro que se foca no texto e na história de amor que não dá certo.


Segundo comunicado do Teatro Municipal Baltazar Dias, trata-se uma obra canónica do teatro português e conta com o elenco de Álvaro Correia, Ângelo Torres, Carolina Amaral, João Grosso, Maria Duarte e Tónan Quito e figurinos de José António Tenente, inspirados na pintura quinhentista e seiscentista.

“Frei Luís de Sousa, recorde-se, é um drama que acompanha Manuel de Sousa Coutinho e a mulher com quem casou, D. Madalena de Vilhena, e teve uma filha, depois da suposta morte de D. João de Portugal em Alcácer-Quibir ter enviuvado D. Madalena. Ora o regresso de D. João, passados 20 ano de cativeiro, nas vestes de um romeiro, há-de “condenar” Manuel e Madalena a uma vida religiosa, entregando as suas vidas a Deus para expiar o pecado em que viveram, e Maria à morte”, acrescenta a mesma fonte.

“Este é um monumento da língua portuguesa que deve estar disponível de tempos em tempos para ser visitado pelo público” afirma o encenador.

Lê-se ainda que a “encenação de Loureiro apresenta uma tragédia intemporal, mas, ao contrário do original, é pautada pelo comedimento e contenção no que diz respeito às emoções ou às lamúrias das personagens”.

O encenador afirmou que a intenção foi seguir “pela zona de um certo gótico, de uma certa sombra, se uma certa névoa”, sem, no entanto, “trair o espirito do texto original, das fábulas e das fantasmagorias que contém”.