Legado de Alberto Vieira "é para continuar"

JM

“O professor Alberto Vieira deixou-nos um legado de enorme qualidade e valor histórico ao qual compete-nos, agora, dar continuidade, apostando na publicação, no conhecimento e na maior divulgação da sua obra e do seu profícuo trabalho, a favor da Região”.

A afirmação é da secretária regional do Turismo e Cultura, Paula Cabaço, que esta tarde, na Ilha do Porto Santo, presidiu ao lançamento do livro ‘Para (um)a História do Porto Santo’, uma obra que, coordenada pelo professor Alberto Vieira, é a primeira a ser apresentada após o seu falecimento.

“Este lançamento é o primeiro de muitos outros a que teremos a honra de assistir, atendendo às obras que o professor Alberto Vieira tinha em preparação e finalização”, sublinhou a governante, assegurando-se, dessa forma, “o reconhecimento daquela que é e será, sempre, uma das figuras mais importantes e incontornáveis da história da Madeira e do Porto Santo”, reforçou.

Elogiando a dedicação e o empenho de Alberto Vieira "na maior valorização, estudo e compreensão do nosso passado", a governante vincou que a publicação destes trabalhos "é a melhor homenagem que se pode prestar, divulgando-os no âmbito do programa editorial das celebrações dos 600 Anos, previsto para 2019".

Sobre a obra propriamente dita, ‘Para (um)a História do Porto Santo’ resulta de um projeto do Centro de Estudos de História do Atlântico que foi coordenado por Alberto Vieira, tendo por objetivo aclarar alguns dos aspetos da História do Arquipélago da Madeira.
Trabalho que contou com contributos de diferentes investigadores integrados no CEHA, nomeadamente de Jorge Valdemar Guerra, Luís Miguel Teixeira de Sousa Jardim na recolha documental e transcrição, Emanuel Janes e Jorge Ramos na recolha de dados e com revisão do texto por Cláudia Faria e Graça Alves.
Refira-se que este livro é o segundo lançamento oficial do ciclo de publicações com a chancela das edições dos 600 Anos, sendo que o primeiro, intitulado ‘O (Re)Descobrimento/(Re)Conhecimento do Porto Santo e da Madeira’, foi igualmente lançado no Porto Santo, no ano passado, a 22 de junho, coincidindo tal apresentação com a cerimónia de lançamento da Emissão Filatélica dos CTT, subordinada aos 600 Anos.
Ao longo dos próximos dois meses, estão previstos, no plano editorial, novos lançamentos. Note-se que, neste plano editorial – que inclui a edição própria, a coedição e o apoio à edição – está programado o lançamento de mais de 20 obras, em várias áreas do conhecimento e da criação.