Coro de Câmara da Madeira satisfeito com adesão aos espetáculos de 'Rossini'

O Coro de Câmara da Madeira revela-se satisfeito com a adesão aos espetáculos da obra Petite Messe Solennelle.

"Foi com grande aceitação e críticas muitos positivas que decorreram e terminaram os dois primeiros espectáculos apresentados pelo Coro de Câmara da Madeira, da obra Petite Messe Solennelle", começa por referir, numa nota enviada à comunicação social, o Coro.

"Quer na terça-feira, dia 9, no Centro de Congressos do Casino da Madeira, na estreia da obra de Gioachino Rossini, quer no dia 10, no Centro Cultural e de Congressos do Porto Santo, foi com prolongadas aclamações de pé que culminaram ambos os espectáculos, congratula-se, acrescentando que "as opiniões dos presentes, quer expressas nos locais das exibições, quer difundidas nas redes sociais, foram muito positivas e animadoras para todos os intervenientes".

Lê-se ainda que "os quatro solistas convidados, o tenor Alberto de Sousa, a soprano Mariana Pimenta, o barítono Ricardo Panela e a mezzo soprano Cátia Moreso, foram alvo de rasgados elogios, que se estenderam aos teclistas, a 1.º piano Aniko Harangi, a 2.º piano Leonilde Ramos e o executante de harmónio Paulo Silva, e a todo o Coro de Câmara da Madeira, exemplarmente dirigido pela maestrina Zélia Gomes".

Quanto às expetativas para os próximos dois espetáculos, são muito grandes. Já esta noite, o Centro das Artes – Casa das Mudas terá lotação esgotada, sendo a ocupação prevista, para sábado, a partir das 20 horas, do Centro de Congressos do Casino da Madeira, muito animadora.

"Foram fundamentais os apoios concedidos por entidades públicas e privadas, nomeadamente na efectivação da descentralização cultural até Porto Santo e Calheta, com a disponibilização graciosa dos espaços de apresentação permitiu a distribuição gratuita das entradas", refere a mesma nota, lamentando que no Funchal, não obstante a generosa concessão de ajuda financeira, quer da Câmara, quer da Secretaria Regional da Cultura, infelizmente não foi possível concretizar a mesma intenção, não havendo disponível um espaço gratuito que permitisse a apresentação condigna do espectáculo.

No entanto, o Coro de Câmara da Madeira defende que não será o reduzido preço do bilhete (€10) que impedirá os interessados de estarem presentes numa exibição inesquecível e dificilmente repetível.