Obra completa de Horácio Bento de Gouveia reeditada ainda este ano

Lusa

A obra completa do escritor madeirense Horácio Bento de Gouveia será reeditada no primeiro semestre deste ano, no âmbito dos 600 anos da descoberta da Madeira, informou Marcelino Castro, coordenador das publicações na Direção Regional de Cultura (DRC).

"A obra completa de Horário Bento de Gouveia vai ser objeto de uma reedição completa", referiu, assinalando que serão todos os livros publicados pelo autor em vida.

Toda a obra ficcional e não ficcional publicada pelo escritor será reeditada, prevendo Marcelino Castro a reedição "ainda no primeiro semestre deste ano".

A obra do autor madeirense "está praticamente toda esgotada" e a intenção da DRC é traze-la no âmbito das comemorações dos 600 anos da descoberta da Madeira e do Porto Santo.

"Depois, é minha intenção publicar uma antologia das melhores colaborações dele na imprensa a partir dos escritos levantados pela filha, mercê de uma porfiada investigação que a própria foi realizando nos últimos anos", considerou.

É ainda intenção da DRC que dos seis volumes dos escritos do autor sejam retirados "textos emblemáticos e construir uma antologia".

A opção é pela edição "pura e simples dos textos tal como eles saíram em edições finais das mãos do próprio autor", disse, explicando que serão edições "sem aparato crítico e com apenas uma pequena introdução".

Marcelino Castro considera que esta é uma forma de "disponibilizar aos madeirenses, a Portugal e à cultura portuguesa, de novo, e em edições atualizadas e modernas, a obra ficcional de Horário Bento de Gouveia.

Considerou finalmente que a obra de Horácio Bento de Gouveia é facilmente identificável pelos madeirenses, porque, "de certa forma, faz o retrato da forma de ser e estar da Madeira ao longo dos tempos".

Horácio Bento de Gouveia nasceu em Ponta Delgada, na Madeira, em 1901. Foi colaborador da imprensa, jornalista, ensaísta, conferencista, cronista e ficcionista, tendo publicado crónicas, contos e romances, bem como desenvolvido outras atividades, tendo falecido em 23 de maio de 1983.

Recebeu homenagens públicas em vida das câmaras municipais de S. Vicente e do Funchal, as quais lhe entregaram as respetivas "Medalhas de Ouro", assim como do Governo Regional da Madeira, que atribuiu o seu nome a uma Escola Secundária no Funchal.