"As Pequenas Memórias" marcam a obra de Saramago

Romina Barreto

Na Galeria Anjos Teixeira, no Funchal, decorreu nesta terça-feira a apresentação do livro "As Pequenas Memórias", escolhido pelo advogado João Lizardo como o seu livro de eleição da obra de José Saramago.

Na sua leitura daquele livro, João Lizardo não só disse das suas razões quanto àquela escolha daquele livro que o marcou, como também demonstrou como "As Pequenas Memórias" estiveram presentes em toda a obra do Nobel português da literatura.

De "As Pequenas Memórias" de José Saramago foram destacadas por João Lizardo as condições de exploração dos campos do Ribatejo, as "praças de jorna", testemunhadas pelo escritor originário da Azinhaga, do concelho da Golegã, a luta das populações, as vagas repressivas impostas pela ditadura de Salazar, as esperanças e as resistências, as classes dominantes e as suas formas de humilhação por parte dos detentores do poder.

Daquele universo descrito por Saramago, das suas recordações da infância, das páginas de "As Pequenas Memórias" foi destacada por João Lizardo uma ideia central: «Nós somos muito mais da terra onde nascemos, e onde fomos criados, do que imaginamos». Assim disse José Saramago.

Esta iniciativa fez parte da programação da Galeria Anjos Teixeira para as comemorações do centenário do nascimento de José Saramago.