Quarteto Moritz atua no ART'Camacha

No âmbito do XXXI Festival de Arte Camachense, designado por Art'Camacha, a freguesia da Camacha transforma-se num local de concentração, gastronomia e animação, com exposições de vimes, bordados e com várias atuações de vários grupos musicais.

No próximo domingo, 14 de agosto, recebe, pelas 20h30 no Largo da Achada, a atuação do Quarteto Moritz.

O projeto Quarteto Moritz tem como propósito a prática do braguinha através de repertórios variados, de entre os quais podemos ouvir peças adaptadas e originais, de diferentes épocas e géneros. Assume-se como um novo patamar na valorização deste cordofone da cultura madeirense, valendo-se de diversas influências musicais nacionais e internacionais, para mostrar o braguinha num panorama musical que remete às suas raízes, com sentimentos do presente.

O quarteto formou-se em 2015 na Associação Musical e Cultural Xarabanda, composto por Roberto Moritz no Braguinha (mentor do projeto); Mário Freitas no Baixo; Lino Alves no Piano e Roberto Moniz no Rajão e nas Violas.

Durante os dias do Festival Art'Camacha, de 12 a 16 de agosto, estará presente no Hall de entrada do edifício da Casa do Povo da Camacha, (entrada livre) uma exposição de Instrumentos Tradicionais Madeirenses: Machetinho, Machete, Rajão e Viola de Arame, assim como, algumas ferramentas que ajudam na construção dos instrumentos, da autoria de Francisco Jesus, um luthier/Violeiro em formação. Este jovem de apenas 17 anos, iniciou a sua formação na construção destes instrumentos, há cerca de 2 anos, através de contactos informais com os Violeiros da RAM, nomeadamente: Jardim de Sousa, Manuel Moniz, Carlos Jorge Rodrigues, Henrique Rodrigues, Mário Freitas, Luís França e Vítor Filipe, e pelas características dos seus instrumentos, resultado de experiências de construção que tem desenvolvido na sua pequena oficina, demonstra poder vir a ser um luthier/violeiro com sucesso.