Vim da Noite e Queimei a Minha pele estreou ontem no TMBD

Estreou ontem, no Teatro Municipal Baltazar Dias, “Vim da Noite e Queimei a Minha pele”, um espetáculo que nasce do resultado do laboratório "Fora de Zona: Próxima Paragem", desenvolvido no t1 do Barreirinha Bar Café.

Este projeto partiu do universo noturno e das suas características, com o objetivo de criar relações entre os temas existenciais que compõem a passagem para a vida adulta.

A ação remete o público para o fim de uma festa e, consequentemente, para a procura de um lugar onde prolongar a noite. Nessa procura, ora num tom confessional e autobiográfico, ora numa dimensão ficcional, os performers refletem sobre temas como: questões geracionais e de crescimento/ desenvolvimento pessoal, vícios e distrações, sexualidade, amor, relações humanas em geral.

Segundo o desvio “é uma peça que não obedece a uma narrativa, ela parte do contexto fim de noite e da procura de um after. Os corpos à medida que vão revelando a exaustão e uma vulnerabilidade de quem já está há muitas horas acordado, vão refletindo sobre temas como a depressão, ansiedade, sexualidade e muitas questões existenciais que compõe a vida adulta e essa chegada do que é ser adulto.”

Marco Lima afirma que o grupo com quem desenvolveu este projeto “são pessoas muito curiosas, muito generosas e com uma grande disponibilidade para o novo e, sendo que grande parte do meu trabalho tem esta componente filosófica, eu lancei os temas e as referências e construímos, em conjunto, o guião do espetáculo”.

É de referir que o Desvio tem traçado um percurso profissional que apresenta características multidisciplinares. Do Teatro à Música, da instalação à performance, da literatura à filosofia. Natural da Madeira, iniciou em criança a formação artística nas artes performativas.