Pedro Calado garante Bienal Internacional de Arte no Funchal a partir de 2022

Catarina Gouveia

No âmbito da apresentação da 47.a edição da Feira do Livro do Funchal, que decorreu esta tarde no Teatro Municipal Baltazar Dias, o recém-eleito presidente da Câmara Municipal do Funchal, Pedro Calado, frisou que a aposta na cultura é para continuar no futuro.

O autarca diz estar muito satisfeito por estar de volta ao Teatro Municipal Baltazar Dias, deixando um abraço a todos os funcionários desta “bela casa” por tudo o que têm feito pela cultura, enaltecendo em particular o “trabalho fantástico” de Sandra Nóbrega, atual diretora da casa maior da cultura funchalense.

Elogia a organização por ter reunido uma programação diversificada e aberta ao universo de fora da Região e à faixa etária dos mais jovens, para esta edição que regressa no próximo mês à Avenida Arriaga e “eleva o nome da cidade do Funchal além-fronteiras”.

Calado acredita ter “um orçamento digno” para os eventos culturais previstos, uma aposta que o autarca quer fazer crescer no futuro uma vez que “a educação passa muito pela cultura”. O orçamento para a Feira do Livro é de cem mil euros.

O edil terminou por garantir que “a partir de 2022 vamos ter mesmo, no Funchal, a Bienal Internacional de Arte.