Funchal 2027: Saiba quem são os membros do júri que irão avaliar as propostas artísticas

A equipa de missão da Candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura revelou ontem, na última sessão de esclarecimentos realizada online com os artistas, o nome dos membros do júri que compõem a equipa multidisciplinar que, a partir de 31 de maio, terá a responsabilidade de avaliar e selecionar as propostas artísticas que farão parte da programação Funchal 2027.

Toda a informação sobre o júri da chamada à apresentação de projetos no site oficial da Candidatura do Funchal 2027 em : https://funchal2027.cm-funchal.pt/chamada-a-apresentacao-de-projetos/

O júri é composto por 10 elementos em representação das várias áreas artísticas.

Ana da Silva fundou nos anos 70, em Londres, a mítica banda pioneira de pos-punk feminino, The Raincoats, que influenciou diversas gerações de artistas como Kurt Cobain, Carrie Brownstein, Bikini Kill e John Lydon dos Sex Pistols. Atualmente Ana da silva dedica-se à música eletrónica experimental, havendo lançado em 2019 um álbum colaborativo com a japonesa Phew.

Carlos Sena Caires dedicou-se principalmente à investigação do Design Digital, das Artes Interativas e do Design dos novos média. Os seus projetos artísticos focam-se em instalações de vídeo interativo, cinema interativo e instalações de arte digital. O Professor Caires é licenciado em Design pela Universidade da Madeira, é Mestre em Artes Digitais pela Universidade Católica Portuguesa e é doutorado em Estética, Ciências e Tecnologia das Artes pela Universidade de Paris.

Catarina Faria é Licenciada em Psicologia, com mestrado em Psicologia da Educação na Universidade da Madeira. Formadora certificada, gestora e programadora cultural, é atualmente responsável pela programação do Teatro Municipal Baltazar Dias e coordenadora de projetos culturais da Câmara Municipal do Funchal. Integra o Conselho Consultivo do Conservatório – Escola Profissional das Artes da Madeira e o Conselho de Cultura da Universidade da Madeira. É membro da Plateia – Associação de Profissionais das Artes Cénicas.

Fernando Heitor é ator, encenador, dramaturgista, argumentista e guionista formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema. No Teatro foi dirigido por Carlos Avilez, João Mota, Ricardo Pais, Angel Facio, Osório Mateus, Luís Miguel Cintra, Jorge Silva Melo e Filipe La Féria. Fernando Heitor é argumentista e guionista de séries de televisão de ficção e entretenimento desde 1980.

Luís Filipe Sarmento é Jornalista, Escritor, Tradutor e Realizador de Televisão. Estudou Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Foi Coordenador Internacional da Organization Mondial de Poétes, Membro do International Comite of World Congress of Poets e Presidente da Associação Ibero-Americana de Escritores. Luís Filipe foi o Coordenador para Portugal da World Poetry Movement.

Miguel Wandschneider é desde 2006 curador do programa de exposições da Culturgest em Lisboa e no Porto. O seu trabalho como curador na Culturgest levou-o a ser indicado em 2012 para o Prémio Walter Hopps de Realização Curatorial, concedido pela Menil Foundation em Houston. Em 2013 e 2014, foi membro do Conselho Consultivo Artístico da Fundação Generali. É membro da Sociedade Guy de Cointet.

Nuno Barcelos é Relações Públicas e ainda Coordenador de Marketing na área hoteleira e tem realizado curadoria, produção e comunicação de projetos de referência cultural no panorama regional e nacional. É diretor artístico dos Concertos L e tem realizado trabalho na co-produção em festivais como o MadeiraDig, o Madeira Micro International Film Festival e do Estalagem da Ponta do Sol Residency for Contemporary Music and Electronics.

Toñin Corujo é um dos mais reputados compositores e intérpretes do timple, cordofone típico das Ilhas Canárias. A sua obra é concebida como uma homenagem musical às Canárias, a sua terra e o seu povo, através de uma fusão de sucesso entre a música de vanguarda, o jazz e elementos da identidade musical canária, trazendo a música tradicional num diálogo estreito com a modernidade e a criação vanguardista. Tem participado em diversos festivais internacionais e tocados nos mais importantes clubes de jazz da Europa com o seu Toñin Corujo Quartet.

Vítor Sousa exerceu jornalismo no Notícias da Madeira e na revista Essential Madeira Islands. Escreveu crónicas para o JM, Diário de Notícias e plataforma online da revista Sábado. Foi editor na Nova Delphi, casa editorial responsável pelo Festival Literário da Madeira, do qual foi responsável pela componente temática do evento e programação. Tem poemas e contos publicados em antologias e revistas literárias portuguesas. Recentemente, participou na antologia “A condição de ilhéu”, edição promovida pelo CEPCEP – Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa, da Universidade Católica.

Maria Fernandes exerce assessoria de imprensa e gestão de comunicação e conteúdos na área cultural, bem como concepção, gestão e produção de projetos culturais. Criou em 2015 o periódico online A.Poética que publicou e divulgou até 2018 vários novos autores da poesia contemporânea em Língua Portuguesa. Tem participado em diversas antologias poéticas e publicações da área bem como em encontros literários e festivais internacionais de poesia.

A organização recorda, em comunicado, que o prazo limite para a submissão dos projetos pelas entidades – coletivas e artistas em nome individual – ainda decorre e termina no próximo dia 31 de maio. Seguir-se-á o processo de avaliação das propostas. Os resultados serão divulgados após 31 de agosto, data em que o júri agora conhecido deverá concluir a análise dos projetos submetidos.

Toda a informação sobre como concorrer, nomeadamente o regulamento e o formulário de candidatura, está no site oficial do Funchal 2027 no endereço: https://funchal2027.cm-funchal.pt/chamada-a-apresentacao-de-projetos/

A Candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura tem o apoio institucional do Governo Regional da Madeira, através da Resolução nº 247/2021 de 16 de abril, e estabeleceu parcerias com todos os Municípios da Região, consolidando o ideal ‘Funchal 2027’ como um desígnio regional.

O programa ‘Capital Europeia da Cultura’ foi criado em 1985. Desde então, revelou-se um importante motor de desenvolvimento económico, social e humano das cidades e regiões abrangidas, assumindo-se como um dos principais programas europeus de desenvolvimento territorial a partir do investimento no setor cultural e criativo.

Sob o lema “Além do mapa, uma cidade de encontros”, o Funchal 2027 tem como ambição agregar no projeto, para além do Arquipélago, a sua diáspora e as regiões ultraperiféricas europeias. A mais antiga cidade atlântica quer continuar a inaugurar caminhos. O título ‘Capital Europeia da Cultura’ nunca foi atribuído a uma urbe ultraperiférica.

Na corrida ao título Capital Europeia da Cultura 2027 está o Funchal e mais 10 cidades portuguesas: Ponta Delgada, Faro, Évora, Oeiras, Leiria, Coimbra, Aveiro, Braga, Viana do Castelo e Guarda.