Obra de Fátima Spínola marca edição deste ano do Fractal Funchal Fest

Iolanda Chaves

O Funchal tem uma nova obra de arte urbana, no número 16, da Rua 31 de Janeiro. É da autoria da artista plástica madeirense Fátima Spínola e marca a 1.ª edição do Fractal Funchal Fest.

Este festival de arte de rua começa hoje e termina no próximo dia 30, com diversas manifestações artísticas efémeras sendo a instalação de Fátima Spínola aquela que foi feita para ficar na cidade.

A apresentação oficial do Fractal Funchal Fest decorreu esta tarde no Teatro Municipal Baltazar Dias, com a presença do presidente da autarquia, sendo este um evento que integra a porogramação cultural do município.

Miguel Silva Gouveia enalteceu o facto deste ser um festival "que olha para a cidade como um equipamento cultural" e de contar com esta iniciativa para fortalecer a candidatura do Funchal a Capital Europeia da Cultura em 2027.

Depois da edição 0, esta é a 1.ª de um festival que se apresenta como "uma nova forma de ver e viver a cidade" e arranca às 21h00 de hoje com uma sessão de drive in, no terraço do edifício 2000, em parceria com o Shortcutz Funchal.

Sábado, o drive in tem como atração um cine concerto em que serão tocadas bandas sonoras para dois filmes mudos.

Carolina Caldeira e Vicente Spínola são os mentores deste evento que vai surpreender a cidade com música, artes visuais (instalações várias), literatura e arquitetura, para além do cinema.

No dia 29, Flor (Diana Duarte) atua às 18h30, na Igreja Inglesa do Funchal, e no dia seguinte, à mesma hora, a proposta é de 'Uma noite romântica com João Borsch', por streaming.

As entradas são livres mas exigem inscrição prévia. Os interessados poderão consultar o site do evento em www.fractal-festa.com ou da página do Facebook FractalFunchalFest.