Em direção ao abismo

Com a evolução da sociedade que temos visto nos últimos anos, temos algumas diferenças e novas limitações. Pela primeira vez na história registada, os filhos têm menos inteligência que os pais. “A Fábrica de Cretinos Digitais”, um livro do neurocientista francês Michel Desmurget, onde apresenta os resultados da investigação onde conclui que os dispositivos digitais estão afetando negativamente o desenvolvimento neuronal de crianças e jovens.

A pesquisa sobre as consequências da tecnologia nas crianças e adolescentes tem vindo a ser investigada de forma séria nos últimos 13 anos. Temos vários artigos que mostram como o raciocínio dedutivo (a base da inteligência e resolução de problemas), tem vindo a ser substituído pelo raciocínio intuitivo. Ao contrário do conceito da intuição, esta forma de pensar é a causa de muitos erros na comunicação e na avaliação da realidade. Existem muitos exemplos e fica aqui um simples exercício onde muitas pessoas falham. Um bastão e uma bola custam 1.10€. O bastão custa mais 1.00€ do que a bola. Quando custa a bola? Muitas pessoas avançam rapidamente para 10 cêntimos. O que estaria errado e daria 1.20€.

Uma das teorias para esta diminuição da inteligência deve-se ao acesso fácil às soluções. Atualmente temos uma dúvida e vamos ao Google®. Decoramos a resposta? Muitas vezes não, porque se tivermos a mesma dúvida vamos ao mesmo lugar. Qual é o interesse de memorizar, se temos sempre tudo disponível? Tantas críticas existem ao uso de calculadoras, de como afetam o cálculo mental, mas o que dizer da internet no bolso, que responde a tudo o resto?

Daqui a poucos meses, quando tivermos a mesma dúvida passamos a ir ao ChatGPT. Este é um algoritmo de inteligência artificial com imensas capacidades e que conversa com a pessoa, enquanto responde às mais diversas questões. Esta é uma mudança tão grande de paradigma, que existem diversos autores que já utilizam esta ferramenta para criarem personagens e enredos para os seus livros. Quantos jovens já copiaram ou pediram a outros para fazerem os seus trabalhos? Como será a realidade com uma ferramenta que cria conteúdos originais a pedido? Esta é uma ferramenta tão poderosa que existem várias notícias que afirmam que a Google® se sente ameaçada por esta ferramenta.

Infelizmente aquilo que é um alerta grave sobre a tecnologia, a diminuição da inteligência da mais recente geração, só se vai agravar com a utilização das novas ferramentas. Porque é que ter mais ferramentas diminui a inteligência? Porque a nossa biologia está programada para poupar. Se pudermos gastar menos energia numa tarefa, é esse o caminho que escolhemos, mesmo que a longo prazo nos comprometa. Esse é um problema clássico das adições, o prazer imediato é preferível ao prazer a longo prazo. Compensa trabalhar vários anos para ter uma casa sua? Não, vamos consumir e gastar tudo e depois resolve-se. E estes motivos biológicos, tornam-se sociais. Como podemos dar algo a alguém e esperar que essa pessoa retribua e não fique à espera de receber mais? Se a criança tiver tudo e não tiver responsabilidades, como é que a criança vai perceber que é benéfico para si arrumar as suas coisas e estudar? Trabalhar? Isso faz o papá e a mamã. E acabamos numa sociedade em que adultos não têm interesse em contruir o seu futuro.

Porque é que não estamos mais preocupados, enquanto sociedade, para os resultados destas investigações? Porque não tem interesse. Enquanto estivermos dormentes, somos mais facilmente influenciados através do marketing comercial ou político. Vamos alegres, de festa em festa, em direção ao abismo civilizacional.