Caminhando eu vou para Canaãn Caminhando eu vou…

Nesta última peregrinação, este cântico em honra da terra de Canaãn não foi um sucesso, era quase desconhecido. Não admira, Sídon é uma das únicas cidades do Líbano mencionada nos antigos livros da Bíblia e nos poemas de Homero. Ela é descrita no Génesis “como a primeira cidade nascida em Canaãn; a mais antiga das cidades de Canaãn, na Ilíada, ela é o centro das cidades Fenícias com as mais belas obras de arte, os elegantes barcos, das obras em prata, da púrpura, ela é a Fenícia do Sul e a Sidónia”.

No século passado, as narrativas dos viajantes vêm na Fenícia os precursores de todas as civilizações, o berço das humanidades onde se aperfeiçoaram as civilizações de todo o mundo. Nas belas costas marítimas, floresceram as mais ricas Associações da história sagrada e profana, aqui se organizaram as civilizações que influenciaram as obras dos gregos, as artes e escritos, aqui nasceu a Sidónia das flores. Em 1885 aqui foi descoberto o túmulo do rei de Sídon do século VI antes de Cristo.

Canaãn está relacionado com a Bíblia, o profeta Elias aqui se acolheu no tempo da falta de chuva e da fome em casa de uma viúva onde não faltou pão e azeite.

Jesus visitou esta zona fora de Israel e curou uma menina a pedido de sua mãe, São Marcos narra com emoção esta cura devido à fé de sua mãe. (Mc,6,24-30)

São Paulo visitou o porto quando seguia prisioneiro para Roma.

Atualmente como vai o país dos Cedros?

Segundo a narração da Ajuda à Igreja que Sofre (A.I.S.) e os diversos jornais, o Líbano parece afundar-se cada vez mais a inflação é galopante, 208 % num ano o gasóleo tornou-se insuportável, o dinheiro está congelado nos Bancos, a eletricidade não funciona mais que duas horas por dia, o país está parado e empobrece.

Após a explosão de Beirute e, 2021 os libaneses estavam muito zangados com os políticos, mas também determinados a contribuir para a recuperação do país, os jovens vinham em grande número a limpar as ruas e na reconstrução, agora estão abatidos, desesperados e sem esperança do futuro.

Mas os países do oriente, como Israel, não ajudam? Impossível pensar enquanto as tropas do Irão estiverem nas fronteiras de Israel, eles pretendem deitar todos os judeus no mar e afoga-los a rodos. Todos os países bíblicos estão de rastos, Síria, Iraque vivem em guerra alimentadas que foram pelos estrangeiros.

Os jovens das capelanias das universidades olham para os franceses que os ajudam, até do primeiro ministro Macron, mas que fazer?

Uns sonham partir para o estrangeiro, mas como obter? Os jovens dizem, “os políticos tiraram-nos tudo, o nosso futuro, a nossa esperança, o nosso sorriso! As aulas são à distância, mas que fazer quando não há eletricidade?”

Alguns queriam seguir para o estrangeiro, mas como fazer para obter um passaporte? Com este desespero dizem, para nós, o essencial é o apoio da Igreja.

Que pensa disto o Papa Francisco? Gostaria de fazer uma visita e ver o Líbano, um filho caríssimo da Igreja, o Papa São João Paulo II e o Papa Bento vieram ao Líbano, João Paulo II disse que o Líbano “era muito mais que um país, uma mensagem”. Se vier o Papa Francisco será bem recebido, muitos outros receiam, a viagem poderá ser aproveitada pelos políticos.

Que nos diz a Fundação A.I.S. Manter as Escolas Cristãs a Todo o Custo.