“Atento e preocupado” com o CDN

Muitos dos sócios com quem tenho interagido quer pessoalmente, quer à distância, estão atentos e ao mesmo tempo preocupados com a atual situação do clube.

A direção do Clube Desportivo Nacional está letárgica, acomodada com a situação do clube. Há uma espécie de conformismo irresponsável em antítese à ambição responsável que, era o lema de campanha da lista do atual Presidente.

Andar a lamentar a falta de apoios do Governo Regional não faz sentido!

Relembro que, foi graças aos apoios da Região Autónoma da Madeira que, o Nacional construiu o seu complexo desportivo. No limite poderíamos discutir - isso sim – se o clube fez bem em sair do Estádio dos Barreiros.

Não faz qualquer tipo de sentido, lamentar a falta de apoios das autoridades oficiais da região como se essa fosse a razão principal para a atual situação, e reivindicar ao mesmo tempo por mais apoios junto do Governo Regional.

Porquê que, a atual Direção em vez de reclamar publicamente por mais apoios junto das autoridades oficiais, não é mais proativa do ponto de vista de estratégico, na procura de apoios, patrocinadores e/ou investidores!?

O que constato é que, não foi e não está a ser, limitando a sua acção à gestão corrente, qual fatalismo que não pudesse ser alterado.

Ainda sobre esta matéria, gostaria de lembrar que, por altura da sua reeleição o atual Presidente do CD Nacional afirmou que e citando; “vamos lutar para subir, mas sem colocar em causa a sustentabilidade do clube".

Ora na minha opinião, ficando na segunda liga é que se coloca em causa a sustentabilidade futura do clube!

Aguardemos no entanto e com natural expetativa, a constituição do plantel de futebol para a próxima época, contudo, está a ser difícil perceber qual é o projeto desportivo desta Direção para o clube, se é que ele existe.

Com este rumo, dificilmente o Nacional conseguirá voltar a subir à Primeira Liga.

Embora seja de opinião que, a Direção eleita deva cumprir o seu mandato até 2024, porque resulta de uma decisão suportada numa maioria clara dos sócios, ainda assim os 28% obtidos nas eleições de 2021, obrigam a que, eu e a minha lista continuemos atentos à gestão do clube. Temos essa responsabilidade.

Temos vindo a acompanhar a situação, a falar dos problemas do clube, os quais radicam de uma certa paralisia e inação, até porque, os motivos que levaram a que me candidatasse a Presidente continuam vivos sendo certo que, se as eleições fossem hoje, voltaria a candidatar-me e não tenho dúvidas que, o resultado seria outro!

Porquê? Muitos sócios abriram os olhos e assim como eu, estão atentos e preocupados.

Concluo dizendo o seguinte, acreditem que, e ao contrário do que prenunciam, o Nacional não está morto, e milhares de nacionalistas, continuam a pensar no seu clube todos os dias.