Mães de maio

Treze de Maio, o dia de Maria, Nossa Senhora a Mãe de todos.

Maio, o mês das Mães. Um mês cheio de Amor!

As mães assumem um papel determinante na nossa vida, são essenciais no nosso desenvolvimento e estruturação das pessoas que somos. São um colo que nos ampara, que nos acompanha e orienta o caminho – são o nosso porto seguro.

Ser mãe, é também uma vocação.

Criar um filho envolve uma concertação entre permanentes trocas emocionais e tarefas educacionais, viajando entre a promoção de autonomia e empatia e uma série de aprendizagens e cuidados.

Educar com amor é a melhor forma de preparar para a vida.

Não existem receitas perfeitas, mas a entrega na relação com os filhos, envolta em laços de amor e apego, percorrendo o caminho, aprendendo com as falhas e saboreando os momentos, será sempre a receita perfeita!

As nossas Mães e Pais são essenciais e complementares nas nossas vidas, e será sempre na sua complementaridade e no encontro das suas diferenças, que resultará o melhor de Nós.

Somos mais do que um código genético, somos o resultado do amor e da relação emocional com os “nossos”, que nos permite desenvolver competências essenciais para a nossa vida. Os nossos Pais serão sempre aqueles que nos cuidam, os que nos dão afeto e segurança, numa fonte inesgotável de amor.

Nascemos para viver ligados e acompanhados e as relações emocionais, permanentes e seguras com as “nossas pessoas”, são fundamentais na nossa existência. É nesta viagem de afetos, que desde cedo nos vamos preparando e estruturando num processo de crescimento (físico/emocional) saudável e seguro, abrindo as portas à vida.

Ser mãe é cuidar e amar, preparando os filhos para o mundo. Fazendo com que se sintam únicos no seu amor, mostrando-lhes desde cedo que não estão sós, e que por isso, também não são os únicos no mundo.

É ter coragem para percorrer o caminho acreditando que é possível. É um processo de crescimento e superação. É proteger e usufruir a viagem, existindo também no papel de “pessoa”, pois a nossa felicidade e equilíbrio enquanto pais, será sempre parte essencial para a felicidade dos nossos filhos.

Que todas mães vivam em pleno este seu papel, que o amor ganhe cada vez mais espaço nas nossas vidas com o exemplo de Maria, aquela que é a Mãe de todos.

Porque o essencial vai muito mais além daquilo que é visível aos nossos olhos.