Está tudo louco?

Se alguns eu já sabia que não jogavam com o baralho todo, outros têm-me saído cá uns duques… A sério! Eu não sei se é dos confinamentos. Se é do raio do vírus. Se é do cansaço. Ou se é mesmo da idade, sei lá. Por certo, de alguma coisa há-de ser… 

É que se uns parecem revoltados e resmungam por tudo e por nada, outros estão sempre a repetir a mesma coisa. Bem, sempre estão melhores esses do que os outros que de manhã dizem uma coisa, à tarde o oposto e à noite o equivalente a coisa nenhuma.

Mas e depois? Qual é o mal? Sempre ouvi dizer que “quem está louco vai se tratar” … E parece-me bem. Pelo menos para aqueles que têm tratamento. O problema aqui é só um: Onde? É que no “privado”, a lista de espera é de loucos. Primeiro que se consiga consulta, dá tempo de ter 3 surtos psicóticos e cometer 5 suicídios. 

No “público”? Bem, nesse o ambiente está a ferro e fogo. Nada de novo, eu sei. Mas esta semana a coisa azedou tanto que o Diretor do Serviço de Psiquiatria soltou-se do colete de forças e mandou passear quem lhe queria tirar o juízo. “Não estou para aturar loucos”, terá dito para os seus botões. De pronto, o Sindicato dos Médicos da Zona Sul, que há muito ansiava por tal desfecho, aplaudiu a decisão. Mais, tratou logo de sugerir alguém para ocupar o lugar deixado vago à força… A escolhida foi uma tal de Dra Ivone Nunes! O primeiro nome não me dizia nada. Já o sobrenome não me era estranho. Ainda assim não estava a ver quem era! Sou assim. Fraco de nomes. Após perguntar de quem se tratava, cheguei à conclusão que era uma senhora que ainda é minha prima lá para 4.º ou 5.º grau. Fiquei feliz! Adoro ver a família a dar-se bem na vida. Não caibo em mim de contente. Acho até que vou ter que colocar uma pastilha debaixo da língua…

Bem, vai ser melhor abafar duas! É que acabo de ler que o Diretor Regional de Saúde insiste em bater no ceguinho. “A pessoa deve pensar como ficou positiva”? Pois claro que deve. E depois de o fazer deve rezar 3 Pai Nossos, 4 Avé Marias e benzer-se 8 vezes. Pedir perdão a São Herberto e tentar levar a vida em frente, não? Mas e se os infectados forem membros do Governo?! Ah, já sei…. Foram umas vítimas desta sociedade irresponsável! Por mim mandava já retirar aqueles cartazes, espalhados por aí, que dizem “OBRIGADO MADEIRENSES. Sempre fomos exemplo”. Seus desajuizados.

Quem também está a perder o tino são os enfermeiros. Ei, calminha aí. Não são todos. Refiro-me apenas à dezena que decidiu preencher a declaração de escusa, ficando assim isenta de qualquer responsabilidade disciplinar, civil ou criminal pelas falhas que possam cometer. No fundo querem igualdade de direitos! Querem sentir-se políticos, banqueiros ou outros que tais. Lindo! Pessoalmente também não queria mais nada. Alegam excesso de trabalho. Tanto que ficam sem tempo para os “part-time”.

Por outro lado, mas na mesma altura, quando questionado sobre as medidas de combate à pandemia, o senhor Presidente do Governo Regional disse que estas não serão alteradas. Não, “enquanto não houver pressão” no Serviço de Saúde. Não, não e não. Mas afinal em que ficamos?! Quem é que não está a bater bem?

Só faltava agora cancelarem também o Carnaval… Logo a única festa em que o uso de máscara é obrigatório e os bochechos com álcool uma constante?! Faz algum sentido?

Ps, aproveito para informar que mudei de clube. Sempre ouvi dizer que isso é a única coisa que nunca se muda na vida…. É verdade. Mas suponho que seja enquanto esse for vivo. Cá depois dele morrer, não conta, não é? Assim sendo, ponderei. E ponderei. E voltei a ponderar. Por fim, escolhi em consciência. Agora sou do Grupo Recreativo Cruzado Canicense. É verdade. Revejo-me no projeto, mas acima de tudo nas pessoas. Fiquei sensibilizado com aquele discurso do Presidente em que dizia que não havia gente de bem interessada em dar continuidade ao projeto. De repente, quando fui ver, o Dr. Filipe Silva (coveiro do União) era o Vice-Presidente da Assembleia Geral.

Está tudo louco?!