O uso dos SIG no quotidiano

A tecnologia evolui a passos largos e a ciência geográfica acompanha esta marcha até à Era Digital. Contudo, será que estamos conscientes da importância que a Ciência Geográfica e que os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) têm no nosso quotidiano?

Sempre que usamos uma aplicação ou visitamos um site, deparámo-nos com informações geográficas. Seja quando utilizamos o Google Earth para pesquisarmos um ponto turístico de uma determinada região ou quando utilizamos o Google Maps para obtermos o melhor trajeto para chegarmos a um destino, estamos a usar tecnologia que tem por base os SIG.

Muitos dos conteúdos produzidos em ambiente SIG, resultam da tecnologia GPS (Global Positioning System), sendo esta uma ferramenta que nos permite saber qual a nossa localização em relação ao globo terrestre. Por este motivo, deslocar-se ou distribuir mercadorias é cada vez mais simples, pois temos sempre à disposição o GPS através dos nossos smartphones ou nos veículos com tecnologia mais recente.

Numa abordagem geral, é possível afirmar que os SIG permitem-nos visualizar, questionar, analisar e interpretar dados para compreender relações, padrões e as tendências da nossa sociedade. Mas, no nosso dia-a-dia será que os SIG têm destaque? Todos os dias encontramos conteúdos produzidos em ambiente SIG, nas redes sociais, livros, jornais, plataformas digitais, aplicações (Booking, Uber, Glovo, OLX,Idealista, Wikiloc) e até mesmo nos telejornais, através da divulgação da previsão do estado do tempo ou da evolução do número de casos ativos de COVID-19 em Portugal, na Europa e no mundo.

Aliás, no sector da saúde os SIG são muito utilizados no combate à disseminação de doenças, uma vez que a tecnologia SIG permite agrupar e cruzar informações oficias. Durante a evolução da pandemia provocada pelo novo coronavírus, nunca os mapas e os números tiveram tanto impacto nas nossas informações diárias. Houve inclusive a necessidade de criar dashboards (painéis de informações) para acompanhar os casos de contágio, mortes e localizar de forma exata os focos da doença.

Com o intuito de promover as muitas vantagens dos SIG, Ralp Nader, um político americano e ativista, em 1999 impulsionou a criação do Dia Mundial dos SIG, o conhecido GIS Day, comemorado anualmente no mês de novembro. Esta efeméride não é apenas um evento, é também um movimento global que reúne universidades, escolas, organizações sem fins lucrativos e profissionais do SIG, que organizam eventos e atividades com o objetivo de alertar a sociedade para a importância que a Geografia desempenha nas nossas vidas.

Na verdade, os SIG têm demonstrado, ao longo dos anos, que são uma mais-valia para todos nós. Num mundo cada vez mais digital, a ligação da ciência geográfica à tecnologia tem sido um sucesso, seja no ramo educacional, empresarial, desportivo, estatístico, ordenamento do território, proteção civil, saúde ou até mesmo nas entidades governamentais. Os SIG têm sido uma ótima ferramenta de aprendizagem e um verdadeiro auxílio na tomada de decisões.

Sendo a geografia essencial para a compreensão do território, os SIG são sem dúvida, uma importante “alavanca” estratégica que permite projetar e criar um futuro melhor. Neste contexto, na terceira quarta-feira do mês de novembro, decorrem as comemorações do Dia Mundial dos SIG, uma efeméride que nos lembra que a geografia e a tecnologia caminham em conjunto e que todos usufruímos das suas valências.