O poder de Servir!

Há cerca de um mês, no dia 26 de setembro o povo voltou a passar o seu poder, para os eleitos das autárquicas.

Quem recebe esse poder do povo, tem que saber compreender, e saber respeitar esse desígnio.

O poder de governar, de liderar os destinos de todos nós cidadãos, é de uma enorme responsabilidade, e quem se desafia a receber este poder, precisa estar bem ciente da enorme responsabilidade que tem.

Na minha cidade, o Funchal, a coligação Funchal Sempre à Frente, recebeu essa confiança do povo, e recebeu esse poder de Servir.

Nos próximos quatro anos, o que esperamos desta nova liderança e equipa para o Funchal, é que saibam respeitar e honrar esta passagem de testemunho e receber este poder de servir os funchalenses.

Tenho a certeza, que serão quatro anos de enorme ligação, entre o novo executivo e o povo do Funchal. Serão quatro anos de uma verdadeira e real proximidade, na procura intransigente de ouvir, de procurar sempre colocar os funchalenses e a cidade à frente.

O nosso Funchal, estava estagnado, ficou preso a um discurso político de vingança e de passado, longe das pessoas, e sem uma clara visão de futuro.

No dia 20 deste mês, tive o privilégio de voltar a receber o voto de confiança para exercer por mais quatro anos a missão de deputado municipal. Irei continuar a ser a mesma pessoa que fui, nos últimos quatro anos, o representante do povo do Funchal, sempre disponível para ouvir e para trazer ao debate político das assembleias municipais, os desejos, necessidade e vontades dos funchalenses, irei continuar a dar voz ao povo, junto ao órgão fiscalizador do trabalho do executivo municipal. Pretendo honrar este poder de servir que recebi dos funchalenses.

Temos pela frente quatro anos de enormes desafios, precisamos modernizar, simplificar e agilizar os serviços da Câmara. Necessitamos encontrar forma de desburocratizar e de aproximar os munícipes do centro de decisão.

Urge reforçar as nossas brigadas de limpeza, para voltar a ter uma cidade limpa, cheirosa, com jardins cuidados, uma cidade que dá vontade e prazer de nela passear.

Precisamos fazer um grande investimento na rede de águas, para deixarmos de ter perdas de 60% na rede, este é um bem precioso, cada vez mais escasso à escala mundial, e que devemos preservar e conservar, pois é a nossa maior riqueza, enquanto ilhéus.

Necessitamos investir na mobilidade, reordenar o trânsito na cidade, criar novas vias de comunicação e novos acessos, por forma a simplificar a vida dos funchalenses e fazer fluir o trânsito na cidade.

Urge de encontrar novas soluções para a habitação na cidade, é preciso permitir que a classe média, trabalhadora, possa viver no Funchal, e para isso será necessário articular com o sector empresarial, criar sinergias para possibilitar novamente a construção de apartamentos de custos controlados que permitam a esta fasquia da população ter acesso a estes imóveis.

É necessário combater a pobreza e reforçar os apoios sociais às famílias com baixos rendimentos. Há que aproximar as zonas altas, da cidade, criar e ampliar vias de comunicação, criar bolsas de estacionamento para quem reside nas zonas mais altas, e que muitas das vezes, não consegue levar o carro até casa.

Os últimos 8 anos, deixaram muito por fazer, sendo certo que a grande missão é de recuperar o tempo perdido, e responder com ação no terreno a todas estas necessidades que hoje estão identificadas e que serão devidamente trabalhadas pelo novo líder da cidade.

Esta é uma equipa de serviço aos funchalenses e à cidade que tanto amamos e queremos respeitar a sua história e identidade.