À grande e à francesa!

A comunidade portuguesa em França é a mais numerosa das comunidades portuguesas na Europa e uma das principais comunidades estrangeiras estabelecidas nesse país, rondando um milhão de pessoas.

A chegada da primeira grande vaga de imigrantes portugueses a França teve lugar durante as décadas de 50, 60 e 70 do século passado, para fugir à ditadura. Já neste século, desde 2008 até 2014, a imigração portuguesa para França tem registado significativos aumentos, sendo mesmo a maior de todos os tempos, devido à crise financeira que ocorreu em Portugal.

A presença duradoura de uma tão importante comunidade faz dela um fator relevante de união entre os dois povos e um parceiro privilegiado no quadro das relações bilaterais.

Relativamente à Região Autónoma da Madeira, existe uma comunidade de madeirenses e luso-descendentes com alguma expressão em Nantes/ Cholé, em Nice e em Paris, na localidade de Ormeson-Sur-Marne.

Beneficiando da ligação afetiva dos portugueses residentes em França, este país constitui uma excelente janela de oportunidades para a região como mercado de exportação de produtos regionais e como destino de cidadãos portugueses e luso-descendentes na área do Turismo e no setor da saúde.

Por outro lado, e beneficiando das suas excelentes condições naturais, segurança, infraestruturas publicas e privadas de saúde, educação e telecomunicações, de uma rede viária moderna, entre outras, bem como de diversos atrativos fiscais para o investimento e para residentes não habituais, a região constitui-se também como destino de excelência dos cidadãos franceses, nas áreas do Real Estate, Turismo, e setor da saúde.

Na área de luxo do imobiliário, em 2020, 35% dos investimentos em Portugal foram realizados por capital estrangeiro, sendo que os franceses, com21% desta parcela, foram os maiores compradores estrangeiros deste segmento.  A procura, por parte de investidores estrangeiros, no sector residencial tem tido um crescimento consistente nos últimos anos. Neste segmento premium existe uma predisposição para pagar valores mais elevados, mas o nível de exigência dos clientes é muito mais elevado. Neste patamar procura-se boa localização, segurança, arquitetura e exclusividade, excelente infraestrutura e tecnologia, e privacidade.

Relativamente à Região, os franceses ocupam a terceira posição, atrás do Reino Unido e Alemanha, na aquisição de imóveis de acordo com dados da DREM.

O imobiliário de luxo na Região continua a seduzir porque os preços são ainda moderados comparados com outras regiões europeias, a par da existência de diversos benefícios fiscais, que conduzem a rentabilidades e perspetivas de valorização bastante atrativas.

Na área do turismo, em 2019, França foi o terceiro maior país emissor de nacionais para a Madeira, somente atrás da Alemanha e do Reino Unido.

As relações económicas entre a região e França tem tido algum crescimento, fruto do número de turistas franceses que visitaram a região - cerca de 150 000 em 2019. Quanto ao comércio, as exportações de bens e serviços de empresas madeirenses para França alcançou o valor aproximado de vinte milhões de euros no ano de 2019, sendo que as importações têm um peso de 7,7% do total de importações da RAM.