Destino Madeira

Esta semana no programa RJM 88.8 "Política 5.0" debatemos a evolução do setor turístico com o nosso convidado Bruno Freitas, administrador hoteleiro. Considerando a importância central deste setor para a nossa região, ainda para mais no atual contexto pandémico, é fundamental debater as mudanças de paradigma que estão a decorrer no mundo do turismo.

Hoje quero abordar um aspeto deste paradigma, nomeadamente a alteração demográfica do turista que nos visita. A partir do momento em que a tipologia do visitante se altera, tal implica necessariamente uma adaptação do mercado regional. Jovens procuram a Madeira especialmente devido às características únicas da natureza da nossa região.

É preciso encontrar um equilíbrio entre, por um lado, o apetrechamento da segurança e sinalética nas levadas e veredas, e, por outro lado, o apelo selvagem e intocado da natureza. Aliás, ninguém quer visitar "autoestradas" nas serras, isso só retiraria valor às mesmas. Contudo, com um aumento de procura jovem pelo destino Madeira, inevitavelmente irão existir mais casos infelizes de acidentes e desaparecimentos nas nossas serras.

É assim importante apoiar campanhas de sensibilização para as características orográficas e climáticas nas veredas e levadas, sabendo que muitas vezes vemos turistas pouco preparados para as dificuldades físicas das nossas serras.

Também é essencial investir na melhoria de conectividade comunicacional (redes GPS) em toda a nossa região, sabendo que a questão ortográfica nem sempre é ultrapassável. É aqui que é preciso apostar mais na inovação tecnológica seja na rede, seja na busca e salvamento.

O aumento destes acidentes pode impactar negativamente a qualidade da imagem do nosso destino, uma vez que não podemos minimizar o efeito dos danos reputacionais daí decorrentes.

Um grande aliado nesta matéria tem que passar indubitavelmente pelos grupos de voluntários caminhantes da nossa região, conhecedores ímpares das profundezas das montanhas e serras da Madeira. Os encontros anuais de pedestrianismo demonstram a miríade de conhecimento já existente e a sabedoria de quem palmilha a Madeira semanalmente. Incorporar estes grupos na estratégia comunicacional junto dos visitantes podia ser uma forma de reduzir infortúnios.

Nunca será possível eliminar por completo o risco nas serras para os caminhantes. Mas urge procurar soluções para os minimizar, cuidando assim do próprio destino Madeira.

 


Sugestão da Semana: A título de exemplo, deixo um exemplar já existente de informação ao caminhante e explorador desportista - "Roteiro da Calheta para Levadas, Veredas e BTT" para inspirar futuras aventuras seguras na nossa natureza.