Orgulho de ser Santa Cruz!

Publicou ontem o JM um barómetro que mede a popularidade de vários políticos madeirenses. Mesmo ressalvando que as sondagens e os barómetros valem o que valem, não se pode desvalorizar de todo como instrumento de consulta, nem se podem desvalorizar os seus resultados.

E a verdade é que este barómetro teve um resultado bastante positivo para o presidente Filipe Sousa, que ocupa o terceiro lugar, logo a seguir ao Secretário Regional da Saúde, Dr. Pedro Ramos, e ao presidente do Governo Regional, Dr. Miguel Albuquerque.

O Presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz é o único autarca da Madeira a ocupar o TOP 3, o que é bastante relevante do ponto de vista da notoriedade e do reconhecimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido neste concelho. Repare-se que o mais natural seria, provavelmente, aparecerem caras de concelhos com mais visibilidade mediática, como é o caso da capital madeirense.

O que me faz hoje centrar a minha atenção neste barómetro é precisamente não apenas o reconhecimento público do quanto Santa Cruz marca a política regional, mas também, e sobretudo, do quanto Santa Cruz recuperou de credibilidade.

Termos hoje um presidente de Câmara nos lugares cimeiros de um barómetro de popularidade e notoriedade é não só uma resposta aos que dizem que Santa Cruz estagnou, mas também o reconhecimento de que este concelho cresceu, de que está definitivamente no mapa regional e de que o trabalho aqui desenvolvido é conhecido e reconhecido além das nossas fronteiras concelhias.

Os resultados deste barómetro não falam apenas de um homem, mas de um povo, que é representado pelo seu presidente, e que em apenas oito anos conseguiu pegar num concelho endividado, conhecido por estar na bancarrota, conhecido por ter credores à porta, conhecido por pagar as suas dívidas a fornecedores com três anos de atraso, e fazer dele um concelho que tem hoje notoriedade, cujo trabalho é admirado e elogiado fora dos seus limites territoriais.

Santa Cruz recuperou o seu orgulho, é hoje um concelho de cabeça erguida, com programas sociais inovadores e únicos no panorama autárquico regional, com investimento, e com um programa de eventos que aumentou a sua visibilidade em termos regionais, de que é exemplo o nosso Natal e a nossa Festa da Flor. Eventos que antes não tinham qualquer expressividade neste concelho, mas que hoje orgulham os santacruzenses e atraem visitantes de toda a Região.

Creio que ao olhar para este barómetro os santa-cruzenses só podem sentir orgulho da sua terra e das suas conquistas, e devem ainda ter confiança no futuro.

Eu, como santa-cruzense, orgulho-me de ter um presidente cuja notoriedade e popularidade surge logo a seguir de um presidente do Governo e de um secretário regional com uma pasta tão importante como a da saúde. Eu, como santa-cruzense, sinto orgulho de ver o meu concelho nos lugares cimeiros de uma consulta popular que mede não apenas da notoriedade de um homem, que a tem, sem dúvida, mas a força de todo um povo que foi sábio nas suas escolhas, que tem sido sábio no apoio às políticas que têm sido seguidas, e que tem todo o mérito no muito que este concelho conquistou nos últimos oito anos. Parabéns, Santa Cruz! Parabéns, santa-cruzenses!