Frango assado ou arroz de frango?

Em mês de eleições para a presidência, sonhei eleger uma mulher presidente. Porquê que é difícil?

Sou Psicóloga, a ciência que é a psicologia explica que a maioria dos pensamentos/cognições que nos surgem depois de ouvimos/vermos algo tem a ver com a nossa história individual. Não há pessoas iguais. O que fomos ouvindo e observando enquanto crescemos fica “tatuado” em nós e vai surgir para concordar ou rebater opiniões. Muitos de nós não conseguimos explicar o porquê da nossa opinião. Nunca ouviram o “Porque sim” ? Eu já ouvi.

Uma mulher presidente?

Polémico em Portugal, começando pelo facto de que as mulheres, em qualquer cargo, têm que valer mais que um homem, afinal o facto de ser homem já é um bom ou até excelente currículo. Esta realidade, para mim, é confusa e difícil de perceber em 2021.

Sinto que a sociedade em relação à liberdade de escolha de papéis não mudou assim tanto desde a ditadura. Principalmente em relação às mulheres. Não estou a falar de direitos e leis, porque houve uma evolução fantástica. As mulheres têm leis para garantir a igualdade/liberdade, mas continua a ser difícil a sua execução. Saímos da ditadura há menos de 50 anos. A lei mudou, mas, na minha perspetiva, o modo de pensar sobre as mulheres mudou pouco. Isso é o grande muro que vejo em frente ao meu sonho.

A nossa maior valorização continua a ser no papel de mães. Não pode ser a única. A um homem ninguém questiona a opção de ter filhos, a nós mulheres ou somos mães ou “ficamos para tias”. O maternal parece ser obrigatório. E quem não quer ser mãe? O que vos vem à cabeça?  Engraçado a mensagem do Papa este natal ser um apelo ao mundo para ser mais Maria (mãe de Jesus), é difícil sair deste papel.

O mundo precisa de mais mulheres com carreiras políticas. Mas muitas ficam pelo caminho devido à grande discriminação que são sujeitas. É preciso subir e descer montanhas, ficamos cansadas e desmotivadas enquanto “vemos” alguns homens que é suficiente tirar uma foto em frente à montanha. Na carreira, ouvimos nomes “ambiciosa/interesseira/subiu na horizontal” e eles ouvem “Homem de sucesso”.

Tantas crenças/ideias falsas que temos todos e todas que combater. Estas ideias bloqueiam a execução do meu sonho no momento de escolher votar!

A presidente será a chefe de estado. Em tempo de crise provocada por uma pandemia, quem vamos escolher para gerir a presidência de um país?

Vamos imaginar a programação de uma refeição, em crise financeira, para o país.

Frango assado ou arroz de frango?

O que escolhem? O que será mais justo para chegar frango a todos? Garantindo as necessidades básicas.

Imagino e vi a maioria dos governantes homens escolherem frango assado, alguém tem dúvidas? Não chega para a família toda, alguns frangos até esturricam na brasa, ficam em pó. Por outro lado, fora de Portugal vi governantes mulheres fazerem diferente, cozinham arroz de frango, bem desfiado para render mais. Um exemplo é a primeira ministra da Nova Zelândia, que comprou vacinas a mais (o frango até dá para os vizinhos).

Sonho com a Marisa como presidente. É mulher! É uma força maior! É filha e neta das mães e das bruxas. Vai governar para todos e todas e sem medo! Há poucos frangos (metáfora), é errado alguém ficar com uma perna ou um peito só para si, porque o frango desfiado e partilhado chegará a todos. É errado avaliar a competência de alguém pelo género! Mas já agora, o que escolhia as vossas mães?