Os contos cor de rosa na cidade do Funchal

Era uma vez em 2019 um presidente de câmara chamado Cafôfo que falava do rigor nas contas da empresa municipal, e anunciou que "ainda estamos a fechar as contas de 2018, mas já podemos avançar que a Frente Mar terá saldo positivo, conseguindo reduzir o passivo em 450 mil euros.

Ou seja, relativamente a 2017, verifica-se uma redução de 25% do passivo, bem como uma redução dos custos operacionais à volta dos 15%, na ordem dos 150 mil euros”.

Esse Presidente concluiu que “o rigor, o trabalho e a competência da administração da empresa municipal está a dar os seus frutos, sem nunca diminuir a excelência e a qualidade dos serviços que prestamos. Este é o resultado de uma política competente e transparente, que garante a todos os funchalenses uma boa gestão dos dinheiros públicos".

Nesse mesmo ano, a 9 de maio em reunião de Câmara, Cafôfo e a sua vereadora Idalina, indicavam que também não havia pagamentos em atraso aos trabalhadores da empresa, mais uma vez, faltaram à verdade e os trabalhadores, não receberam o seu vencimento a tempo e horas. No dia seguinte o mesmo Cafôfo negava dividas da empresa Frente Mar Funchal, situação que se veio a verificar falsa, e uma vez mais, mentia a todos os Funchalenses.

Ora bem, o que a história tem vindo a mostrar é que os socialistas que governam o Funchal, têm por várias vezes mentido sobre a empresa Frente Mar Funchal, têm deixado os trabalhadores desta empresa desprotegidos, sem nunca se preocuparem verdadeiramente com os mesmos.

A gestão municipal levada a cabo nos últimos anos pelos socialistas no Funchal, está embrulhada numa manta de mentiras e retalhos, só temos assistido a falsas promessas, temos assistido constantemente a um faltar à verdade, com uma total falta de transparência nos dossiers que o executivo trabalha. Para além disto, temos assistido a uma falta de rigor, de gestão, e principalmente de liderança.

Como é que estes mesmo personagens têm a “lata” de dizer que defendem os trabalhadores da empresa municipal Frente Mar Funchal, quando foram eles os culpados por esta ter chegado a este ponto de rutura? Como é que se pode ser tão falso ao ponto de dar palmadinhas nas costas dos trabalhadores, quando foram os próprios que cavaram a sepultura da dita empresa?

A Frente Mar Funchal, tinha todas as condições para se manter ativa, existisse coragem, para se cortar nas gorduras da empresa, realizar-se um plano de recuperação económico, reduzindo-se nos custos, e passando a câmara municipal mais competências e receitas para a empresa municipal, situação que era simples de se fazer, e que só exigia vontade para se fazer.

Outro dos contos cor de rosa que vivemos no Funchal, são as contas do município, e o ilusionismo que o mago das finanças, agora também presidente da autarquia continua a querer fazer passar. Ora vejamos, o mago Miguel
indica que nos últimos anos sob a sua gestão, reduziu-se a dívida, e que a autarquia tem uma saúde financeira sem precedentes. A verdade, é que essa redução é feita à custa dos “Calotes” e do garrote financeiro que faz aos seus fornecedores como é o exemplo da ARM. Se os valores dessa dívida fossem devidamente contabilizados, ver-se-ia o que o município tem realmente a pagar, pondo a descoberto que afinal, o mago das finanças não fez qualquer milagre de redução da dívida. Este é, portanto, um executivo de ilusionismo, de publicidades e promessas que não passam do papel.

E por falar em papel, o dito mago teve de solicitar um empréstimo de 5 Milhões de euros, que todos nós vamos ter de pagar. Sabe-se que em 2020, transitaram em fluxos de tesouraria cerca de 16 milhões de euros. Coloca-se a questão: por que razão, uma câmara que se gaba de ter uma gestão financeira ímpar, e de ter umas contas tão boas, precisa de mais 5 milhões? Essa resposta deixo para cada um dos Funchalenses, que devem de facto pensar e refletir como a nossa cidade tem andado para trás com os socialistas ao comando dos destinos do nosso município.