Os benefícios da Dança Sénior

A Dança Sénior é uma modalidade de intervenção dirigida à população idosa, que envolve música e atividade física, adaptada a esta faixa etária, independentemente da condição física de cada participante. Esta intervenção foi criada e desenvolvida pela coreógrafa e psicopedagoga social Ilse Tutti, na Alemanha, em 1974.

Inicialmente, a motivação para a realização destas sessões de dança sénior prendia-se com a necessidade de enriquecer as atividades de ocupação dos tempos livres dos idosos, utilizando como ferramentas: a música e as coreografias de baixo impacto, isto é, coreografias de curta duração e fisicamente pouco exigentes.

Atualmente a Dança Sénior apresenta três tipos de modalidades: dança de pé, dança sentada e a geronto ativação, cada uma com objetivos específicos A dança realizada em pé e geralmente em roda e a pares, tem como principais objetivos a interação, socialização e integração dos participantes. A dança sentada acrescenta a mais-valia de permitir a participação das pessoas impossibilitadas de se manter de pé ou com dificuldades de equilíbrio. Por fim, a geronto ativação, caracteriza-se pela sequência ritmada de movimentos com objetivo de ativar o corpo antes da prática das danças. A Dança Sénior apoia-se na música como motor para a ativação física, exigindo que os seus participantes realizem diferentes tipos de movimentos (amplos, rápidos e lentos, coordenados, simultâneos, ritmados), acompanhando a marcação do professor e do grupo. O reportório é diversificado do ponto de vista de ritmos, coreografias e complexidade de movimentos. A Dança Sénior adapta-se às necessidades do grupo, aos seus aspetos físicos, cognitivos e emocionais, visto que cada idoso realiza os exercícios dentro dos seus limites e capacidades.

Os benefícios desta actividade são vários. A nível físico provoca: ativação neuro-muscular, melhoria da mobilidade e da coordenação motora; A nível cognitivo estimula as funções cognitivas, tais como a memória, atenção, compreensão, orientação espacial, linguagem; A nível emocional desencadeia satisfação e prazer pela expressão cinestésica, o que induz melhoria na auto-estima e na qualidade do sono. A nível social promove a integração e coesão social, sentimentos de pertença e de solidariedade e maior participação ativa e autónoma.

Na Região Autónoma da Madeira (RAM), o projecto “Dança Sénior Madeira” foi introduzido em 2014, pela madeirense Dércia Rodrigues. É psicóloga de formação e com ligação às artes (música, canto e dança) desde a sua infância. Possui várias certificações em dança, dançaterapia e a certificação internacional em Dança Sénior. Após 6 anos de implementação, este projeto beneficia, atualmente, cerca de 260 participantes, de diferentes instituições (públicas e privadas), distribuídos por cinco concelhos (S. Vicente, Funchal, Machico, Santa Cruz e Câmara de Lobos) da RAM. De realçar, que a “Dança Sénior Madeira” arrecadou o segundo lugar no Orçamento Participativo da RAM em finais de 2019.

Numa altura em que demografia da RAM, exibe crescente envelhecimento da população, e isolamento social, este projeto, é duplamente relevante no âmbito da saúde. Primeiro, porque é um excelente exemplo do uso das “artes na saúde e bem-estar”, alinhado com a visão e recomendações recentes da OMS. Segundo, porque a dimensão que o projeto já alcançou, permite a sua capitalização, de forma imediata, como parceiro da Saúde, em programas de prescrição social, à escala regional. É, certamente, um projeto que merece a nossa atenção, reconhecimento e investimento. Muitos Parabéns à equipa da “Dança Sénior Madeira”!!!