Sabia que?

Sabia que, nos finais de 2013, o Município do Funchal tinha uma dívida na ordem dos 100 milhões de euros e que passados menos de 7 anos, essa dívida baixou para apenas 30 milhões de euros?

Sabia que muita dessa dívida acumulada era referente a despesa corrente, nomeadamente dívidas de água e eletricidade? Dívida que não gerou investimento, que não gerou um valor acrescentado à cidade e aos cidadãos.

Sabia que, enquanto a dívida ia aumentando, a Câmara Municipal do Funchal recebia do Governo Regional cerca de 6 milhões de euros por ano em contratos programa com o Governo Regional e que a partir de 2014 esse valor baixou para zero?

Sabia que nos últimos anos de mandato de Miguel Albuquerque à frente da Câmara Municipal do Funchal, o Município recorreu a 3 resgates financeiros e que mesmo assim deixou os tais 100 milhões de Euros de dívida?

Sabia que a Câmara Municipal do Funchal antes pagava cerca de 900.000 € por ano a uma empresa para fazer a manutenção da ETAR e das estações elevatórias e que após fazer um concurso público, esse valor baixou para menos de 350.000 €? Pergunta para “queijinho”, de quem seria essa empresa que antes cobrava quase o triplo do valor atual?

Sabia que o FunchalJazz, um dos grandes eventos culturais da Região, antes custava cerca de 300.000 € por edição e que partir de 2014 passou a custar cerca de 100.000 €, representando uma poupança ao município em cerca de 800.000 € por mandato, e que mesmo com esta redução, a qualidade manteve-se e até, digo eu, terá aumentado?

Sabia que a aquisição de combustíveis com os atuais concursos públicos fez baixar consideravelmente os custos energéticos do Município do Funchal?

Sabia que, pelo mesmo valor de antes, a frota automóvel da Câmara Municipal do Funchal aumentou e tornou-se mais eficiente, através de bons contratos de aluguer operacional?

Sabia que a taxa de juro dos empréstimos contratados pela Câmara Municipal do Funchal, seja para investimento ou apoio à tesouraria (estes nunca utilizados desde 2014), caiu a pique, permitindo uma grande poupança financeira aos contribuintes do Funchal?

Sabia, também, que o prazo médio de pagamentos a fornecedores da CMF baixou de 380 dias para apenas 14 dias? Garantindo assim mais estabilidade e transmitindo confiança às muitas empresas que diariamente fornecem o Município.

Sabia que nos últimos 2 anos, a CMF adjudicou 38 milhões de Euros em obras a 41 empresas, mostrando assim a diversidade de fornecedores, em processos transparentes, ao contrário de outros que escolhem sempre os mesmos do costume?

São muitos os exemplos da boa gestão autárquica praticada pela CMF desde que a Coligação Confiança está à frente dos destinos da cidade, são grandes as diferenças existentes entre estes que governam desde 2013 e o PSD.

Tire as suas ilações, são factos e casos concretos, muito significativos. E a vontade de continuar a trabalhar pelo bem comum é grande, por isso, não serão calúnias e denuncias anónimas (daquelas que têm um rosto e que nós sabemos bem quem são) que nos irão desviar do bom caminho que tem sido a nossa governação. Ao contrário de outros, não iremos arranjar manobras de diversão do género “candidaturas a Belém” ou “ameaças de demissão” para desviar atenções sobre acusações, pois estas são claramente infundadas e não necessitam de subterfúgios para as “apagar”. Que a justiça vá até ao fundo das questões, que investigue bem e seja rápida. Da nossa parte, nada tememos, nada temos a esconder.