XI Congresso de Educação Artística’ 2020

Na semana passada realizou-se no Funchal a XI Edição do Congresso de Educação Artística, numa organização da Secretaria Regional da Educação, Ciência e Tecnologia, através do Conservatório – Escola das Artes da Madeira, em parceria com a Direção Regional de Educação.

Ao longo de 11 anos, ininterruptos, o Governo Regional da Madeira organiza este congresso que, ano após ano, mantém uma relevante participação de professores e outros profissionais ligados às Artes, rondando os 200 e os 350 participantes. Foram 11 anos de partilhas e de discussão em torno da educação artística, que muito tem contribuído para o sucesso e inovação destas práticas nas nossas Escolas. De referir que este é o único congresso dedicado à educação artística que se realiza em Portugal, de forma continuada.

Este ano e dadas as atuais contingências excecionais da Covid-19, a organização optou por organizar este evento num regime misto, em que foram aliadas as funcionalidades ‘à distância’ a momentos presenciais, sempre com a possibilidade de ser tudo on-line. Este novo modelo veio permitir a participação de congressistas do continente e até do Brasil, como acontecia regularmente em anos anteriores, mas agora exclusivamente online.

E porque ao longo dos tempos foi sempre implementado um plano de melhoria contínua, a organização pela primeira vez conseguiu que o congresso fosse acreditado a nível nacional como formação para os docentes. Um passo significativo, em especial para os docentes do continente, que assim viram a sua participação no Congresso ser reconhecida como formação contínua.

Ao longo de 3 dias os participantes contaram com a oferta de 28 Oficinas de Formação e 28 Comunicações e Conferências. Este novo modelo permitiu a participação de alguns conferencistas e formadores a partir do Brasil, nas áreas da música e da dança. A conferência de abertura foi realizada por Paulo Pires do Vale, Comissário do Plano Nacional das Artes.

Foram ainda apresentadas três edições originais do Conservatório, uma delas internacional: o livro “Rotas do Atlântico”, que conta com 8 composições de músicos madeirenses e 8 de músicos brasileiros para braguinha e cavaquinho. As outras obras foram “Desenho animado - Manual de Apoio para Cinema de Animação”, de João Pedro Pereira e “Contrastes - Exercícios para Braguinha, de Daniel Jesus”. Foi igualmente um momento especial de divulgação da nova Loja Online do Conservatório (lojaconservatorio.pt), que complementou a feira de edições presencial, que costuma organizar-se neste evento.

Como habitualmente, na sessão de abertura do Congresso foi entregue, pelo Secretário Regional da Educação, Ciência e Tecnologia, dois prémios “Educação Artística 2020”: na categoria instituição, foi premiada a “Porta 33”; e na categoria professor, a comissão organizadora escolheu o Prof. Francisco Caldeira.

Certamente que a organização, com base nesta nova experiência e nas avaliações dos participantes, irá preparar o Congresso de 2021, que acreditamos que irá manter o nível de qualidade a que já nos habituou, quiçá ainda mais internacionalizado.