Efemérides

Faz hoje 279 anos que Maria Theresa Walburga Amalia Christina de Habsburgo-Lorena era coroada como Rainha da Hungria. Com 30 anos de idade, única mulher a governar os territórios do Habsburgos, assumia as rédeas de um dos maiores e mais importantes territórios da sua Dinastia.

Maria Theresa foi conhecida não só pela sua extensa descendência, 15 filhos no total e dos quais se destacam os Imperadores José II e Leopoldo II e a peculiar Maria Antonieta (mais tarde Rainha de França), mas também pelas extensas reformas governativas e administrativas que levou a cabo pelo seu Império e que ainda hoje explicam, em parte, o sucesso económico-cultural de certos Estados-Membros da UE que anteriormente faziam parte do seu Sacro Império Romano-Germânico. Destas reformas destacam-se:

● A tributação do clero e da nobreza, reforma que mais tarde viria a dar frutos e a permitir, pela primeira vez, o equilíbrio das finanças públicas da Monarquia. 

● Lançamento dos censos agrícolas cujos dados recolhidos abrangiam à época 43 territórios do centro e leste da Europa.

● Regulamentação dos privilégios do nobres face ao bem-estar dos camponeses.

● A obrigatoriedade de autópsias em todos os óbitos ocorridos na cidade de Graz, a segunda maior cidade austríaca. Esta lei é hoje prática generalizada em quase todos os países do mundo.

● A promoção da inoculação (vacinação), generalizada da população, na Áustria, tendo submetido os seus próprios herdeiros ao procedimento contra a varíola e tendo oferecido ela própria o procedimento às primeiras 65 crianças num jantar oferecido no Palácio de Schönbrunn.

● A proibição de que se queimassem mulheres acusadas de bruxaria em fogueiras, e a tortura e, pela primeira vez na história do Império, abolição da pena de morte do código penal, substituindo-a por trabalhos forçados.

● O ensino obrigatório para todas as crianças de ambos os sexos com idades entre os seis e os doze anos. Ainda que, a reforma da educação tenha sido recebida com hostilidade em muitos locais, a Imperatriz esmagou o dissenso, ordenando a prisão de todos aqueles que se opusessem.

As importantes reformas levadas a cabo pela Maria Theresa traduziram-se num legado único de entre os monarcas do iluminismo. Legado esse que apesar de imperfeito deixou a sua marca em países da União Europeia, como a Áustria, a Hungria, a Croácia, a Chéquia, a Eslovénia, a Eslováquia, a Polónia, a Roménia, etc….

“Humana, mortal e pecadora”, juntou-se a 29 de novembro de 1780 ao seu marido na aquela que em vida foi conhecida em como Imperatriz Viúva dos Romanos, Rainha da Hungria, da Boêmia, da Dalmácia, da Croácia, da Eslavônia, da Galícia, da Lodoméria, etc; Arquiduquesa da Áustria, Duquesa da Borgonha, da Estíria, da Caríntia e da Carníola; Grã-Princesa da Transilvânia, Marquesa da Morávia, Duquesa de Brabante, de Limburgo, de Luxemburgo, de Gueldres, de Vurtemberga, da Alta e da Baixa Silésia, de Milão, de Mântua, de Parma, de Placência, de Guastalla, de Auschwitz e de Zator, Princesa da Suábia, Condessa Principesca de Habsburgo, de Flandres, do Tirol, de Hainaut, de Kyburg, de Gorízia e Gradisca, Marquesa de Burgau, da Alta e da Baixa Lusácia, Condessa de Namur, Senhora de Windische Mark e Mechelen, Duquesa Viúva de Lorena e Bar, Grã-Duquesa Viúva da Toscana.