O Conservatório: novos tempos, novos desafios

Apesar das dificuldades encontradas nesta fase difícil para todos nós, visto que temos de conViver com o COVID 19, o Conservatório, através da sua comunidade educativa, dirigentes, professores, funcionários, alunos e encarregados de educação, tem conseguido encontrar as melhores soluções para que os alunos continuem a sua formação através das artes. Novos caminhos e novas estratégias foram e continuam a ser encontradas e maximizadas.

Estamos na reta final deste atípico ano letivo e preparamo-nos para o próximo a iniciar-se em setembro. Naturalmente teremos práticas diferenciadas das do passado, mas acreditamos que seremos capazes de superar mais este desafio, que se deve transformar em oportunidade, até porque, em 2020-21, iremos celebrar os 75 anos desta importante Instituição das Artes na Madeira, o “nosso” Conservatório.

Muitos milhares de crianças, jovens e adultos passaram por esta insigne Escola de Vida! Todos fazem parte da sua longa história de mais de sete décadas. Hoje, mais do que nunca, precisamos do apoio e do carinho de todos, para que o Conservatório continue a ser uma instituição forte e de referência regional e nacional. Da parte daqueles que, atualmente, o dirigem e de todos os seus trabalhadores, docentes e não docentes, o empenho será sempre palavra de ordem, pois tudo farão para serem criadas excelentes condições para que este próximo ano seja memorável.

A este propósito, estão neste momento, e até ao dia 31 de maio, a decorrer as renovações de matrículas dos atuais 2.200 alunos, bem como as pré-inscrições de novos alunos. Sabemos que alguns pais e encarregados de educação estarão com a dúvida se deverão manter os seus filhos para o ano, na atual situação. Nada mais justo e compreensível, mas podem confiar no Conservatório e nos seus professores e funcionários. Este é o momento-chave para que apostem na formação artística dos seus filhos, pois as mais-valias das artes estão mais do que comprovadas cientificamente. Sem querer dar mais importância à música do que às restantes artes, e fazendo uso de um artigo de opinião do investigador Paulo Esteireiro, deixo-vos sete excelentes motivos para as crianças e os jovens aprenderem a tocar um instrumento musical: 1. Contribui para conhecermos melhor a história cultural; 2. Aumenta a nossa capacidade de concentração; 3. Aumenta a nossa capacidade de memória; 4. Aumenta as nossas competências sociais e de trabalho em equipa; 5. Ensina-nos a ser perseverantes; 6. Melhora competências de leitura e de matemática; 7. Promove a sua autoexpressão e a felicidade.

O mesmo autor ainda destaca que, “o ponto mais alto da música é, a meu ver, a sua forte relação com o nosso lado espiritual e emocional. A música é uma arte e tocar uma composição envolve sempre, ou devia envolver, a expressão de uma ou mais emoções. Quando se consegue atingir este patamar da autoexpressão e da expressão das emoções da peça musical, a prática de um instrumento pode tornar-se muito divertida e ser uma fonte de grande felicidade. Por todos estes motivos, arranje tempo e inscreva-se numa atividade musical.” 

As ofertas formativas do Conservatório são variadas e  dividem-se em três grandes áreas: O ensino artístico especializado, os cursos profissionais e os cursos livres em artes.

No ensino artístico especializado há duas opções: o regime articulado e o regime supletivo. No regime articulado os alunos frequentam uma escola do ensino básico do 1.º 2.º e 3.º ciclos, de forma articulada com as disciplinas do Conservatório: instrumento, formação musical e classe de conjunto. São onze as escolas do ensino básico protocoladas com o Conservatório, espalhadas pelo Funchal, Câmara de Lobos, Ribeira Brava, Ponta do Sol, Calheta, São Vicente, Santana, Machico, Caniço e Camacha. No regime supletivo os alunos frequentam a sua escola básica ou secundária e nas horas livres vêm ao Conservatório.

Nos cursos profissionais, a oferta divide-se nas áreas da música, do teatro e da dança. O curso corresponde ao ensino secundário, ou seja, do 10.º ao 12.º ano de escolaridade, com dupla certificação e totalmente apoiado pelo Fundo Social Europeu (FSE). Os candidatos devem ter o 9.º ano e idade igual ou superior aos 15 anos. São quatro os cursos: Instrumentista de Cordas e Teclas, Instrumentista de Sopro, Canto e de Percussão, Instrumentista de Jazz, Intérprete de Dança Contemporânea e Artes do Espetáculo – Interpretação. Este ano, abre-se o curso profissional de canto lírico.

A última grande área é a dos cursos livres em artes, com uma oferta de 33 atividades de entre a música, o teatro, a dança, as artes plásticas e o cinema de animação. Qualquer criança, a partir de um mês de idade (orientações musicais para pais e bebés), pode frequentar estas atividades.

Razões mais do que suficientes para que inscreva os seus filhos no Conservatório.

Mais informações em: https://www.conservatorioescoladasartes.com/