A proximidade do distanciamento social

Atualmente, não são poucas as iniciativas de formar diversos grupos virtuais para suavizar este momento crítico em que atravessamos, grupos estes com objetivos diversos, tais como solidariedade, cultura, entretenimento entre outros temas.

A nossa comunidade portuguesa também mostrou-se muito ativa, tanto nas redes sociais como na criação de grupos no WhatsApp por todo o mundo, de forma a facilitar a troca de informações e experiências para melhor enfrentar esta crise global.

Dentre estes grupos criados, temos o grupo “Desafios da Diáspora”, de iniciativa do JM-Madeira, que conecta portugueses oriundos da Madeira, dos Açores, de Portugal continental, bem como lusodescendentes e pessoas de diversas nacionalidades ligadas às comunidades portuguesas espalhadas pelo mundo, de forma a trocar informações e impressões sobre o momento em que a comunidade vive.

Neste sentido, recentemente o PS também criou o programa “Diálogos Digitais com as Comunidades Portuguesas”, em uma iniciativa inédita e pioneira, onde militantes e não militantes pertencentes às comunidade portugueses da Europa e de fora da Europa, puderam se conectar e trazer a público seus contributos e suas experiências no combate ao covid-19, iniciativa esta que deve ser continuada, de forma a possibilitar que este canal de diálogo seja alargado ao maior número de pessoas possível.

Em tempos de pandemia, onde toda a humanidade experimenta um momento sombrio, cheio de incertezas e ao mesmo tempo de esperança, algo de positivo poderemos extrair desta experiência, a valorização da proximidade entre as pessoas e os povos.

Mesmo mantendo o distanciamento social necessário, recorremos a tecnologias que nos aproximam, tentando suprir, mas não substituir, o contato direto com as pessoas, porquanto, estes meios digitais, só nos fazem valorizar cada vez mais as relações humanas e os momentos mais singelos de convivência.