A nova Silicon Valley do Turismo?

Pelo quarto ano consecutivo, a Universidade de Oxford (Reino Unido) ocupa o primeiro lugar no ranking mundial da publicação Times Higher Education – World University Rankings 2020. Esta universidade tem uma longa história e reconhecimento que, de forma muito realista, a Universidade da Madeira não pode competir contra. No entanto, acredito que poderia, pelo menos, ser uma das 12 universidades portuguesas que também integram este ranking, todas elas instituições públicas. Porém, e acima de tudo, a UMa deve encontrar a sua identidade, aquilo que a diferencia das outras universidades, que a torna única e, com a sua “marca” bem definida, apostar numa forte campanha de marketing para atrair alunos, bem como, os melhores docentes e investigadores que demonstrem o potencial para colocar a UMa no “mapa do mundo”. 

Nos últimos anos tenho divulgado a Madeira em todas as comunicações que tenho apresentado em congressos internacionais. Verifico a ovação dos participantes e as parcerias que daqui tenho conseguido com a vinda de muitos deles à UMa. Em jeito de brincadeira, muitos deles questionam-me qual o montante da comissão que recebo para tamanha publicidade. A resposta é nenhuma! Sinto que é um dever como professora universitária e como cidadã.

Mas não fiquei por aqui na divulgação científica da identidade própria que nos carateriza. Conjuntamente com Garcês e Jesus, da Universidade do Algarve, em 2020, publicamos um artigo numa revista internacional de elevado fator de impacto, indexada no SJR (SCImago Journal Rank), intitulado “The Best Tourism Island Destination in the World and Meaningful Experiences: A Systematic Literature Review” (O Melhor Destino Turístico Insular do Mundo e Experiências Significativas: Uma Revisão Sistemática da Literatura).  Neste artigo analisamos a forma como a “economia da experiência” está a ser inserida na Madeira, sabendo que as “experiências significativas” são, atualmente, cruciais para o turismo. O objetivo deste estudo foi identificar quais as variáveis estudadas no Turismo da Madeira e se a experiência dos turistas faz parte da sua oferta, através duma revisão científica da literatura com os termos Madeira, Porto Santo e Turismo. Os grandes tópicos que emergiram foram a natureza, o património cultural e a economia/marketing. A experiência está a ser introduzida na oferta turística, porém existe reduzida investigação focalizada nas experiências significativas relacionadas com o desenvolvimento pessoal e caraterísticas pessoais do turista. É nesta área que o nosso projeto do bem-estar do turista tem vindo a ser implementado. 

Moral da história: a UMa tem todas as condições para estar nos primeiros lugares dos rankings mundiais na área que a torna única. Se a Ilha da Madeira foi eleita o Melhor Destino Insular do Mundo nos últimos cinco anos, porque não a sua Universidade ser líder do conhecimento nesta área especifica? Acredito que, com um plano estratégico adequado à especificidade das condições naturais e climáticas da Madeira, bem como aos perfis psicológicos e económicos dos turistas que nos visitam e/ou nos visitarão no futuro, a UMa pode ser um polo de excelência de formação, inovação e investigação em turismo. Acredito veemente que a UMa pode vir a ser o Silicon Valley do turismo do mundo na Madeira!